Categorias
Conteúdo tendências Vídeo

Vídeo Nuggets – O que são?

Você sabe o que são video nuggets?

Antes de mais nada, navegando pelas redes sociais você já deve ter visto muitos vídeos curtos com texto em cima e legendas embaixo, não é mesmo? Mas, você sabe o que são video nuggets, como surgiram estes vídeos e por que estão fazendo tanto sucesso?

Calma, que a gente te conta!

Os vídeos invadiram a internet

Em 2020 aproximadamente 1 milhão de minutos de vídeo atravessaram a internet por segundo. Assim como o Youtube já é o segundo site mais acessado no mundo, perdendo apenas para a busca do google.

Mas, não é só de youtube que vivem os vídeos online.

Todas as plataformas de redes sociais mais utilizadas do momento já possuem o sistema de vídeo integrado em sua timeline, como por exemplo o Instagram, Facebook, LinkedIn e o Pinterest.

Especialistas estimam que até 2022 82% do tráfego na internet será de vídeos. 

fonte: Cisco

O que são Video Nuggets?

Video Nuggets são vídeos curtos, geralmente extraídos de um vídeo maior que fora produzido anteriormente. São acima de tudo uma estratégia de marketing de conteúdo digital.

Os videos nuggets são geralmente em formato vertical com uma Headline (título) chamativo, neste sentido para que conquiste a atenção do usuário nas redes sociais. Juntamente com as legendas. Os vídeo Nuggets possuem geralmente de 15 seg. a 3 min.

Mas, atenção! Estes shorts videos precisam conter toda a informação para chamar a atenção do usuário, assim como permitir que ele consiga compreender a informação transmitida! Afinal, não é apenas cortar um pedaço de um vídeo longo e aquela parte não fazer nenhum sentido para a pessoa que está assistindo.

exemplo de vídeo Nugget

Mas, afinal, como surgiram os Video Nuggets?

O criador desta estratégia de vídeos foi o Érico Rocha, um super empreendedor do marketing digital e criador do fórmula de lançamento.

Em suma, Érico entendeu que nas redes sociais como Instagram e Facebook, vídeos longos não faziam tanto sucesso como no Youtube. Afinal, as pessoas estam ali despretensiosamente descendo o feed e nem sempre estão totalmente abertas para assistir a um vídeo de 5, 10 min, ou mais.

Além disso, ele também percebeu que a maioria dos usuários destas redes acessam através de smartphone e geralmente desligam o som do aparelho durante o dia, pois estão ou em trânsito ou em trabalho e o som pode atrapalhar ao demais presentes.

Foi então que surgiu a ideia de pegar todo aquele conteúdo incrível que ele já havia produzido para o Youtube e transformá-los em pequenos vídeos, tão interessantes quanto, só que com um título muito atraente para chamar a atenção do usuário e com legenda, para que ele pudesse assistir em qualquer lugar.

Bingo! Viralizou!

Por que utilizar vídeo marketing?

A Tendência de consumo geral de vídeos via mobile não pode ser ignorada pelas marcas modernas. Bem como seu alto potencial em gerar retornos de investimento.

9 entre 10 profissionais de marketing nos Estados Unidos, afirmam que conquistaram um novo cliente através de um vídeo  via social media, por exemplo.

Além de gerar interesse em um produto, o vídeo marketing se tornou popular também por ajudar os consumidores a aprender algo. 

Vídeo é o método mais utilizado pelos consumidores para conhecer produtos novos, em torno de 68%. Seguido por posts de blogs, cerca de 15%. Manual escrito ou e-book, 4%. Infográficos, 3%. Chamadas de venda para demonstração de produtos, 3%. E outros, 3%.  

 Fonte: Omnicore Agency

Descobriu-se em pesquisa recente que uma porcentagem significante dos consumidores online preferem assistir conteúdos mais curtos, de fácil acesso e de preferência em formato de vídeo.

Além disso, este mesmo estudo descobriu que 97% dos negócios acreditam que seus vídeos ajudaram a aumentar o entendimento do usuário sobre o produto ou serviço. 

Então, o que está esperando para levar a estratégia de vídeos para sua empresa?

Aqui na RED trabalhamos com produção e criação de conteúdos em vídeos e já ajudamos mais de 200 empresas a produzir conteúdo original.

Envie uma mensagem pra a gente e vamos juntos!

Gostou do conteúdo? Se inscreva para receber nossa newsletter!

Processando…
Sucesso! Você está na lista.
Categorias
Conteúdo

Bancos de imagem ou Conteúdo Original?

Primeiramente, já sabemos que a presença online é imprescindível. E afinal nada melhor para trabalhar essa presença digital senão com imagens! Correto?! Então, como conseguir estas imagens?  Bancos de imagem ou conteúdo original qual a melhor opção?! 

Se preferir, assista ao vídeo sobre Banco de imagens x Conteúdo Original

Buscando imagens na internet

Sempre que precisamos de alguma imagem primeiramente pensamos em buscá-las na internet. Mas, muito cuidado na hora de utilizar imagens para ilustrar sua empresa seja em seu site, e-commerce ou redes sociais. Porém, nem tudo que está na internet é de uso livre principalmente imagens! As imagens portanto podem ter direitos autorais e que precisam ser respeitados. Assim como caso seu uso seja indevido, pode gerar um pedido de retirada de circulação ou mesmo processos caros.  

Assim, pensando nesse aumento na demanda por imagens, surgiram as empresas que ofertam imagens com direitos de utilização mais amplo e de fácil acesso, os chamados: bancos de imagem.  

Os bancos de imagem

Você, profissional de marketing bem como empreendedor, com certeza já utilizou algum destes bancos em ao menos um projeto.  

Afinal a facilidade dos bancos de imagem devido a rapidez e o custo acessível é indiscutível. Mas, será que trabalhar somente com bancos de imagem é uma boa escolha para sua empresa? 

Contudo porém utilizar bancos de imagem pode não ser tão bacana para para todos os projetos. Por exemplo, por serem mundiais, os bancos de imagem possuem acesso de milhares de empresas, agências e empreendedores, diariamente elevando assim a possibilidade de outras empresas e até mesmo seu concorrente, utilizar o mesmo recurso que você.

Assim como, trabalhando somente com imagens e vídeos de bancos de imagem, seu produto ou serviço, acaba sendo sempre retratado de uma maneira mais generalista. E não de forma original e personalizada.  

Conteúdos de imagem original

conteúdo original para banco de imagens personalizado davene
conteúdo original em foto produzido para campanha de redes sociais Davene

Em contrapartida ao produzir conteúdos de imagem original para sua empresa, você pode criar um banco de imagens criativo e personalizado. Por exemplo trabalhando a cartela de cores da sua empresa e contar histórias através de fotos e vídeos que somente você vai ter.  

Através da produção de conteúdo original você consegue despertar sobretudo aumentar o interesse do seu público, ter maior credibilidade, se tornar autoridade no seu mercado e gerar mais oportunidades para conversões em vendas.  

Aqui na RED trabalhamos com produção de conteúdo de imagem original para empresas. Então, já pensou em ter um banco de imagens personalizado para a sua empresa?! Quer saber mais?! Envie uma mensagem pra gente que retornaremos com as melhores soluções para a produção de conteúdo de imagem original para sua empresa! #vemcomaRED 

Gostou do conteúdo? Se inscreva para receber nossa newsletter!

Processando…
Sucesso! Você está na lista.
Categorias
Fotografia Vídeo

Você sabe o que é Cinemagraph?

Você pode não ter ouvido falar em cinemagraph, mas com certeza já esbarrou com algum por aí. Esse estilo de arte visual tem se tornado cada vez mais presente até mesmo na publicidade offline. Mas afinal, o que são Cinemagraphs?

Cinemagraph de lareira RED produção audioviosual
Cinemagraph por RED Produção Audiovisual

O que são Cinemagraphs?

Antes de mais nada, a palavra Cinemagraph é a junção da palavra Cinema, que representa uma imagem em movimento com Photography (fotografia em inglês) que representa uma imagem estática.

Em síntese Cinemagraphs são fotos animadas.

Como assim?! Assim, são uma junção entre foto + vídeo que geram imagens estáticas com partes em movimento continuado (looping).

Cinemagraph e Gifs são a mesma coisa?

Não! Gifs são um formato de arquivo de imagem, como o jpg, png, tif, por exemplo.

Os Gifs foram inventados praticamente ao mesmo tempo que a internet, em 1987. No primeiro boom de sites, ainda nos jurássicos anos 90 enquanto os gifs animados invadiam todos os sites possíveis e impossíveis!

Era super hype ter um gif de qualquer coisa pulando, brilhando ou afins pelo seu site. Como a moda é cíclica, os benditos gifs voltaram com tudo e estão bombando de novo mas, agora nas timelines das redes sociais.

O GIF na verdade é um formato de arquivo de imagem. Um arquivo bem pequeno, com uma paleta limitada de cores – 8 bits, 256 no máximo.

Mas, como os GIFs são mais conhecidos e seu formato de arquivo ajuda a compartilhar pequenos vídeos de forma mais leve e é compatível com praticamente todo tipo de ferramento online, os Cinemagraphs também podem ser salvos em formato de gifs ao inbvés do mp4, que é um arquivo mais comum de ser utilizado em arquivos de vídeos.

cinemagraph de café por red produção audiovisual
Cinemagraph por RED Produção Audiovisual

Como surgiram os Cinemagraphs?

A técnica foi criada pelos fotógrafos americanos Kevin Burg e Jamie Beck em 2011 para ilustrar um editorial de moda e acabou virando tendência na criação de imagens para social media em diversos outros seguimentos e migrando hoje para além da internet, sendo utilizada em campanhas de publicidade on e offline.

A maior apoiadora e entusiasta desse estilo de imagem foi a modelo e apresentadora Tyra Banks. Que investiu financeiramente na empresa canadence que criou o primeiro app cinemagraph maker, Flixel. Além disso ela também ajudou a divulgar a nova tendência em seu reality “America’s Next Top Model” em diversas provas.

Os cinemagraphs estão revolucionando a estética na publicidade online, pois eles conseguem ter um peso de imagem bem pequeno, como uma foto e ao mesmo tempo, trazer maior brilho e vida para imagem, como em um vídeo.

Como fazer um Cinemagraph?

Para criar um Cinemagraph você pode aplicar algumas técnicas em conjunto. Primeiro você precisa pensar em alguma cena que você tenha tanto objetos estáticos, quanto objetos ou pessoas em movimento.

A forma mais simples e comum é iniciando com um vídeo. Você precisa gravar um vídeo desta cena. De preferência com a câmera parada em um tripé. Depois você escolherá um frame deste vídeo onde deixará a maior parte da cena estática. Fará um print deste frame, como se fosse uma foto do frame. E com um editor de vídeo você faz uma máscara nos elementos que você quer que estejam em movimento. Muito importante aqui é achar um movimento sutil onde você consiga dar a ideia de looping contínuo.

Outra forma de fazer um cinemagraph é através de um stop motion. Que é a animação de fotos. Você pode criar um stop motion para animar algum objeto na cena e fazer ele se movimentar. Enquanto a outra parte da cena permanece estática.

Ou mesmo você pode criar uma animação digital em cima de uma foto já feita. Como por exemplo este cartaz do filme Looper. Onde a arte foi criada a partir das fotos dos personagens e foram acrescentados 2 elementos 3d em movimento.

official

Cinemagraphs em números

Anuncios cinemagraphs engajam entre 85% e 110% a mais que imagens estáticas.

fonte: Microsoft

Nas redes sociais, já foi comprovado pela Microsoft que os anuncios cinemagraphs engajam entre 85% e 110% a mais que imagens estáticas. E a redução de 45% no custo por cliques em comparação com as imagens estáticas.

Em relatório produzido pela experian, a empresa relatou o crescimento de cerca de 72% nas respostas dos e-mail marketings contendo cinemagraphs ou gifs.

Os cinemagraphs já provaram que tem grande aceitação pelo público, devido a seu apelo artístico incrível e sua facilidade de adequação aos veículos on e offline. Por isso diversas grandes marcas já incluíram esse estilo em suas campanhas.

cinemagraph davene bebe vida por red produção audiovisual
Cinemagraph por RED Produção Audiovisual

Que tal inovar e produzir cinemagraphs incríveis para sua marca? Envie uma mensagem pra gente com seus contatos que retornaremos com as melhores soluções para produzir conteúdos de imagem incríveis para sua empresa. #vemcomaRED

Quer saber mais sobre cinemagraph? Aperta o play!

Gostou do conteúdo? Se inscreva para receber nossa newsletter!

Processando…
Sucesso! Você está na lista.
Categorias
Fotografia

Flat Lays- o estilo de fotografia

Você pode não ter ouvido falar de Flat Lays, mas com certeza já viu muitas fotos dessas por ai! O estilo de fotos e design, não surgiu nas redes sociais, mas com cada vez mais mais redes sociais de imagens por ai ele logo se tornou o queridinho, principalmente no Pinterest e instagram.  

Flat lay de leite demaquilante Higiporo no centro com pincéis de maquiagem em volta em fundo branco
Flat Lay por RED produção para Davene

Mas como afinal surgiram os Flat lays? 

De acordo com o portal de tendências Creative Review, o termo surgiu em 1987 quando Andrew Kromelow , faxineiro do estúdio de design de Frank Gehry, organizava diariamente as ferramentas e peças que encontrava jogadas ao redor do galpão em uma mesa com fundo neutro em ângulos de 90 graus.

Certo dia, Tom Sachs, artista e escultor que também trabalhava no estúdio de Frank, observou o trabalho de Andrew e perguntou se o seu método de organização tinha um nome. E Andrew respondeu que não. Mas, como o estúdio estava trabalhando naquele momento para a criação de cadeiras para a famosa marca de móveis de Florence Knoll, Andrews disse ter se inspirado no desiogn destas cadeiras para criar seu método de organização. Foi então que Sachs e Andrew decidiram batizare o método de Knolling.

Desde então Tom Sachs passou a particar o Knolling. Porém, o método só ficou conhecido em 2010, quando Tom Sachs lançou seu 10 Bullets for the working code, onde o ítem de número 8 é: “Always be Knoling!” Que ele adotou como mantra em seu estúdio.

Flat lay de tela de pintura com livro de desenho e pinceeis em fundo branco
Flat Lay por RED Produção Audiovisual para Valisere

Quais os tipos de Flat Lays?

Os Flat Lays podem ser utilizados em diversos seguimentos como na gastronomia, moda, decoração, cosméticos, eletrônicos e o que mais sua imaginação mandar.  

Além das fotos, também podem ser produzidos vídeos, com esta mesma estética. Até no cinema esse recurso já foi empregado por diversos diretores, mas principalmente por Wes Anderson, para dar uma perspectiva mais pessoal a cena, praticamente inserindo o telespectador na obra. 

frame do filme The Tenembaums Wes Anderson

Flat Lay: O estilo que invadiu as redes sociais e veio pra ficar! 

Mas, por que essa estética faz tanto sucesso?! Freud explica! As pessoas adoram organização. E objetos arrumados vistos de cima, expressam bem essa sensação de ordem e arrumação, o que nos gera uma sensação agradável. A vista de 90º também nos é muito familiar em nosso dia a dia. Como quando estamos olhando as coisas dispostas em nossa mesa de trabalho ou preparando uma receita na bancada da cozinha, por exemplo.  

Flat Lay de fotografia de gastronomia por RED Produção Audiovisual

Dicas finais

Mas, como aproveitar melhor essa tendência para a produção de conteúdo original? 

  • Crie mini cenários para as suas fotos. 
  • Tenha sempre fundos diversos e neutros. 
  • Arrume a cena com a visão da câmera. 
  • Planeje suas fotos e vídeos antes de executar! 

Se inspirou?! A RED produção é pioneira na produção deste tipo de conteúdo e possui toda a logística bem como equipamentos necessários para produzir flatlays originais e incríveis para sua empresa! Envie uma mensagem pra gente que retornaremos com as melhores soluções para a produção de conteúdo de imagem original para internet! #vemcomaRED

Quer saber mais sobre Flat Lays? Aperta o play!👆

Gostou do conteúdo? Se inscreva para receber nossa newsletter!

Processando…
Sucesso! Você está na lista.

 

Categorias
e-commerce Fotografia

Por que investir na produção de imagens para o e-commerce?

Quando começamos o planejamento de um e-commerce a princípio pensamos no site, correto?! Logo depois na plataforma de vendas, layout, design, servidor… Então, como você irá mostrar os produtos para os seus clientes em seu site? Você pensou nisso? Mas, afinal, por que investir na produção de imagens para o e-commerce?

As imagens são muito importantes para o seu e-commerce tanto quanto seu servidor ou site. É através delas que seus clientes irão se conectar com seu produto. Ainda mais, que elas são peça chave na hora do cliente efetuar a compra. Neste post explicamos mais afundo a importância de se ter boas imagens no e-commerce. Enfim, por que investir em fotos de qualidade pode fazer toda diferença nas suas vendas.

Como vender um produto sem que o cliente possa tocá-lo?

Afinal, como vender um produto sem que o cliente possa tocá-lo?  

Uma boa apresentação do produto é fundamental para que se possa passar através da tela do computador a mesma sensação de se ter o produto em mãos.

Alguns recursos são utilizados nesta missão! Bem como fotografia de produtos still em ângulos diversos. Iluminação adequada. Fotografia com modelo ou humanizada. Além de vídeos explicativos ou how to use, por exemplo.  

Lauren Freedman, presidente da The E-tailing Group, disse já em 2012 durante a Internet Retailer Conference + Exhibition que:

“Informações sobre o produto devem começar com imagens como parte da experiência de compras”. Ela também apresentou um estudo, mostrando que 75% dos usuários realizam a compra pela qualidade da imagem do produto.

Lauren Freedman, presidente da The E-tailing Group

Então, fica claro que usar imagens de qualidade é indispensável para vender.  Por outro lado, em relação às fotos dos produtos, ainda há muita dificuldade das lojas virtuais brasileiras em fazer bom uso delas. A captação e tratamento, por exemplo, é vista como cara. E dessa forma faz com que grande parte dessas imagens acabem sendo buscadas nos sites de busca ou catálogos dos fabricantes. O ruim disso é que todo mundo acaba usando as mesmas imagens e seu site perde credibilidade. 

fotografia de produto still e-ccommerce
fotografia still por RED Produção Audiovisual

Por que investir em imagens para o e-commerce?

Boas imagens na galeria de shop do e-commerce ajudam não somente a mostrar o produto, bem como a passar credibilidade e confiança ao consumidor para efetuar a compra em um site. 

Antes de tudo é preciso construir um padrão de fotos a seguir. Como um guia para todas as fotos do e-commerce. E além disso, fotos próprias garantem um diferencial sob seus concorrentes.  

E-commerces com 3 fotos ou mais na galeria possuem uma taxa de conversão de até 19,5% a mais que os outros.

Pesquisa Lett

Então por que tantos empreendedores e empresários ainda esquecem ou negligenciam essa parte fundamental para o sucesso de seus investimentos?! 

Como produzir imagens para o e-commerce?

A produção de imagens para e-commerce não é algo tão simples quanto pode parecer. Ainda mais hoje onde todos possuem uma câmera fotográfica. Em contrapartida existem técnicas específicas para fazer imagens de qualidade.

Tanto quanto a edição, que é imprescindível. Assim como o Recorte perfeito. Juntamente com a calibração das cores das fotos para uma reprodução mais fiel das cores reais do produto. Além disso, contar com computadores que possuam qualidade para a alta performance dos softwares de edição. E telas calibradas constantemente para garantir a confiança do perfil de cores e nitidez das imagens.  

Fora essa parte técnica, a produção das fotos e vídeos também dá bastante trabalho, afinal, para poder alimentar um e-commerce de forma contínua, você precisará fazer diversos ensaios permanentemente em sua agenda para ter um site constantemente atualizado com os novos lançamentos.  

Você pode optar por fazer todo esse investimento internamente assim como contratar profissionais especializados para fazer todos esses processos. 

Por que investir em imagens para o e-commerce? fotografia still profissional
fotografia de produto still antix por red produção audiovisual

Mas, como manter essa logística na produção de imagens?

Na RED nossa equipe de E-commerce tem experiência em fazer esse tipo de produção contínua de pequenos ou grandes projetos e te entrega as fotos prontas para subir no seu servidor ou marketplaces.

Mas, caso você prefira fazer essa produção de fotos para o e-commerce internamente, também trabalhamos com consultoria, treinamento e supervisão de equipe para a criação de estúdio de e-commerce internamente nas empresas.

Além da produção de fotos para o seu e-commerce, também trabalhamos com produção de fotos para os anúncios e campanhas de redes sociais.

Então, envie uma mensagem pra gente que nossos especialistas terão o maior prazer em ajudá-lo a construir um processo de produção de imagens inteligente e ágil para a alimentação do seu e-commerce.

Gostou do conteúdo? Se inscreva para receber nossa newsletter!

Processando…
Sucesso! Você está na lista.
Categorias
Fotografia

Fotografia Publicitária

A propaganda de produtos e serviços faz parte da vida da sociedade desde o século XIX. E desde então essas propagandas não só ajudam a negócios crescerem. Mas também são o retrato de uma época. Afinal, retratam hábitos, tendências e costumes. Algumas propagandas, por exemplo, são tão icônicas que se tornaram parte de nossa memória afetiva. Que tal viajarmos um pouco no tempo? Rever algumas propagandas. Além disso conhecer um pouquinho da história da fotografia publicitária? Você sabe o que é fotografia publicitária? Como ela começou? Então, siga em frente que você vai saber um pouco mais sobre este assunto! Boa leitura!

fonte: site propagandas históricas \ reprodução

Como começou a fotografia publicitária?

Afinal, qual é a função da publicidade no campo da comunicação? Um meio de tornar conhecido um produto, um serviço bem como uma marca. Assim como despertar na massa consumidora o desejo pela coisa anunciada, ou criar prestígio ao anunciante.

A invenção da fotografia se deu em 1825 por Dagerre. Por outro lado, a sua utilização na divulgação de produtos, serviços e em rótulos começou timidamente no final do século XIX e se fortaleceu somente no passar do século XX.


Ao mesmo tempo no início do século XX, começam a chegar ao mercado equipamentos e materiais voltados à prática amadora da fotografia. Por exemplo as câmeras portáteis da Kodak. Que trabalhavam com filme em rolo. Assim como prometiam em sua campanha de divulgação, rapidez e facilidade de operação. Enfim agora fotografar se torna um simples apertar de botão.

fonte: site propagandas históricas \ reprodução

Dessa forma se desenvolveu a chamada fotografia instantânea. Eram imagens obtidas através de câmeras de fácil manuseio. Com a preocupação central de registrar o momento, principalmente da vida familiar. Sem se preocupar com as questões de composição, arranjo e nitidez. A imprensa passou a explorar os instantâneos não apenas na cobertura jornalística, mas também nos anúncios publicitários.

Da fotografia analógica para a fotografia digital


No final do século XX nasceu a fotografia digital. Assim também um marco para a fotografia. Como resultado o final de mais de um século do uso de filmes e revelação elaborada, para se obter uma imagem adequada. Enfim para um instantâneo, que realmente faz jus a seu nome.

A digitalização acelerou o processo acabando com a revelação das fotos (basta baixar o arquivo no computador), com o fim do tratamento das fotos em laboratórios físicos, assim otimizando os custos.

Com a fotografia digital surgiram logo em seguida, também os Softwares que oferecem ferramentas de Retouching. Eles contribuem para facilitar e baratear o custo de edição de imagens. Bem como a velocidade e quantidade de recursos. Aumentando a quantidade de fotos a serem tiradas e agilizando a entrega dos trabalhos.

fonte: site propagandas históricas \ reprodução

A fotografia publicitária no sécilo XXI

A Fotografia publicitária vai ganhando novas caras com o passar dos anos. As tendências visuais vão se moldando com os passos da sociedade. Assim como com as novas tecnologias e o desejo dos consumidores.

A REDprodução está pronta para novos desafios. Sempre ligada com as principais tendências do mercado. E queremos ser parceiros de sua agência nessa jornada.

Entre em contato. Nossos especialistas terão o maior prazer em te ajudar. Vamos juntos fazer diferente e fazer a diferença! #vemcomaRED

Quer continuar nesta viagem no tempo? Acesse nosso Album especial no pinterest. E também o Propagandas históricas. Um site incrível que trás curiosidades e muita história sobre as propagandas que marcaram época.

Gostou do conteúdo? Se inscreva para receber nossa newsletter!

Processando…
Sucesso! Você está na lista.
Categorias
Conteúdo Marketing Vídeo

Vídeo Marketing – Por que investir em vídeos?

Antes de mais nada precisamos avisar que: os vídeos invadiram de vez as timelines! E com a pandemia, o Vídeo Marketing, que já era uma tendência forte, como resultado, se consolidou como principal meio de comunicação de empresas e pessoas.

Neste post falaremos um pouco sobre o esta estratégia de vídeos e em suma por que você também deve investir nela. Boa leitura!

vídeo marketing gif  escritos animados com a palavra vídeo em fundo vermelho
gif vídeo marketing para falar sobre a importância de se investir em vídeos como estratégia de marketing de conteúdo

Afinal, o que é Vídeo Marketing?

Vídeo Marekting é principalmente uma estratégia que consiste em fazer marketing por meio de conteúdos audiovisuais. Ou seja, trata-se de usar vídeos, sejam eles online ou veiculados na TV, para divulgar um produto ou uma marca e, assim, atrair, converter e fidelizar clientes.

Mas não pense que o vídeo marketing consiste apenas em tentar vender através de vídeos. Essa estratégia vai muito além disso, e inclui:

  • publicidade em vídeo para internet, ou vídeo ads;
  • vídeos institucionais para fortalecer a imagem de uma marca ou instituição;
  • tutoriais ou vídeos educativos, parte das ações de marketing de conteúdo;
  • vídeo produtospara apresentação e demonstração de um novo produto;
  • cases de sucesso e depoimentos de clientes;
  • conteúdos periódicos em vídeo, como vlogs pessoais;
  • transmissões ao vivo e webinars,

entre outros.

Os vídeos em números

Mais de 4.5 bilhões de pessoas no mundo estão online. Nas redes socias, já são mais de 3.8 bilhões. Ainda mais no Brasil, onde em 2019, já era o terceiro país em que as pessoas passam mais tempo nas redes sociais. Cerca de 3horas e 31 minutos por dia. 

Bem como pesquisa feita pela Provokers aponta que brasileiro consome mais vídeo online que conteúdo da TV aberta.

Youtube é o site mais acessado no mundo, perdendo apenas para a busca do Google. E somente no Brasil, cresceu 165% nos últimos 5 anos.

Em fevereiro de 2020, a empresa revelou seus números de arrecadação pela primeira vez após sua aquisição pelo grupo google. Nos últimos três meses, o YouTube gerou quase US$ 5 bilhões em receita de publicidade. Somando o ano de 2019 inteiro, o número chegou a US$ 15 bilhões. 

O que o público quer ver em um vídeo?

Os números nos mostram um mercado extremamente em alta, mas afinal, o que o público quer ver em um vídeo?! 

As pessoas querem aprender coisas novas. Ver experiências reais. Inclusive erros. Como utilizar um produto. Assim como sua avaliação. 

Segundo o hub de tendências Think With Google: Um conteúdo autêntico torna o aprendizado ou a compra menos aterrorizante e dá aos usuários a confiança necessária para agir. Ou seja, quando as pessoas sentem que aprenderam o suficiente online, ficam motivadas a fazer aquilo na vida real, e é aí que o “eu consigo fazer” vira “eu preciso comprar”. Mesmo que as pessoas assistam a um vídeo sem intenção de compra, elas estão abertas a descobrir coisas novas. 

90% das pessoas dizem que descobriram novos produtos e marcas pelo youtube.

fonte: Think With Google

Os vídeos estimulam as pessoas em cada etapa da jornada. Tanto quanto online ou mesmo nas lojas físicas. 

Quais os principais estilos de vídeos?

Os vídeos online podem servir para diversos usos: 

  • Publicidade ou Ads.
  • Institucional, para fortalecer a imagem da empresa e o Branding. 
  • Vídeos educativos bem como vídeos tutoriais ou How to use Guides para produtos e serviços.
  • Cases de sucesso por exemplo vídeos depoimentos de clientes e usuários.
  • Entrevistas com especialistas, celebridades ou influencers. Sobretudo acrescentam ainda mais autoridade a sua marca.
  • Vídeos periódicos como uma web série temática, por exemplo.
  • Conceituais como Fashion Films ou Mood Boards, contando o conceito por trás da inspiração para uma coleção, produto ou marca.
  • Transmissões ao vivo ou webnars.

Entre outros.  

Vídeos, vídeos por toda parte!

Além do youtube, os vídeos estão crescendo também nas demais plataformas. Por exemplo o instagram (timeline, stories e IGTV), Linkedin,  que incluiu a postagem de vídeos diretamente na plataforma a pouquíssimo tempo e já está permitindo também vídeo ads e facebook, que criou uma plataforma própria para organizar os vídeos e melhorar a navegação dos usuários.  

Ao usar a estratégia de vídeos você aproxima seu público a sua empresa. Melhora seus resultados no Google. Gera leads. Amplia o branding. Assim como é capaz de reverter em crescimento de vendas.

Segundo o Hubspot as estratégia de marketing digital que envolvem vídeos, aumentam em até 97% a intenção de compra do cliente e em 139% a associação com a marca assim como mais da metade dos consumidores disseram que os vídeos ajudaram a decidir qual marca ou produto específico comprar. 

Fontes: Hubspot e Think with Google

Dicas finais para um vídeo marketing de sucesso: 

Por fim, seguem nossas dicas mais importantes!

  • Crie conteúdos específicos para cada plataforma.
  • Pense em vídeos que realmente entreguem algo ao público, não somente a venda direta.
  • Conte histórias reais.
  • Criatividade e planejamento são tudo na vida!  

Achou complicado?  Ou mesmo precisa de uma ajuda para a produção de conteúdo de imagem original para sua empresa ou agência?  Então envie uma mensagem pra gente e vamos juntos! Vem com a RED!  

Gostou do conteúdo? Se inscreva para receber nossa newsletter!

Processando…
Sucesso! Você está na lista.
Categorias
e-commerce tendências

5 Tendências 2021 E-commerce

Antes de falar sobre as 5 tendências para 2021 no e-commerce, vamos relembrar um pouco. Que o e-commerce cresceu no mundo todo durante a pandemia, você já sabe. Mas, você sdabe por que?

A Pandemia, abriu os olhos de muitos empresários e corporações. Tanto dos que não tinham sua presença online ainda quanto dos que achavam que sua presença online não lhe daria tanto retorno quanto suas lojas físicas. Por isso, não investiam nem tempo, dinheiro ou energia para elas.

Enquanto o distanciamento social e os lockdowns fizeram com que mais pessoas utilizassem o e-commerce para suprir suas necessidades. E isso trouxe grandes quebras de paradigmas que o mercado online tentou quebrar durante anos.

Então, o que poderemos esperar para o e-commerce em 2021? Neste post listamos as 5 tendências em 2021 para o E-commerce que você precisa ficar de olho!

gif 5 tendências 2021 e commerce
gif note book com carrinho de compras girando e mão entrando na tela para o pegar

1- Consolidação do Omnichannel

A princípio os e-commerces eram encarados como um projeto arriscado e surper valorizado. Muitas empresas que já tinham sucesso com suas lojas físicas há muitos anos, não viam no e-commerce um projeto de sucesso. Afinal, pra que mexer em time que está ganhando, não é?

Mas, com o passar dos anos, as inovações tecnológicas e cada vez mais usuários invadindo a internet, o e-commerce foi ganhando seu espaço. Principalmente após a popularização dos smartphones.

Aos poucos  as empresas começaram a atuar em todos estes canais de comunicação digital, por exemplo: Site, E-shop, Redes Sociais, E-mail, Mensagem de telefone, etc. E viram que Através destes canais poderiam também redirecionar as compras para sua loja física.

Os canais foram se intensificando e criando uma rede completa de interação e comunicação com o cliente, gerando cada vez mais confiança na marca e assim também revertendo em vendas. Gerando assim a estratégia de multicanais e o Omnichanel.

Atualmente, especialistas do mercado vêm a estratégia omnichannel como sendo a única alternativa de agregar valor às empresas. Isso porque resulta em maior eficiência operacional, robustez, agregador de margem aos negócios e principalmente potencializa a satisfação dos consumidores.

fonte: E-commerce Brasil

2- Personalização

Até mesmo as pequenas empresas conseguem analisar dados de seus consumidores. Ainda mais com a tecnologia de inteligência artificial e com as empresas e aplicativos de análises de dados cada vez mais acessível.

Através destas informações coletadas em diversos momentos do funil de vendas, a empresa poderá fazer ações específicas para cada público consumidor. Assim como na sua estratégia de anúncios, campanhas publicitárias, remarketing e até mesmo seu conteúdo de imagem.

Por exemplo, criar uma campanha direcionada as mães que estão em casa tendo que gerenciar home office e home schooling e fazer as compras online. Que tal enviar um lembrete por e-mail de quando ela deve reabastecer sua lista básica?

Ou mesmo, uma campanha multicanais para as grávidas durante a pandemia. Ofereça um kit enxoval completo para ela, que não poderá ir às compras pessoalmente o tanto quanto gostaria.

3- Conteúdo como vantagem competitiva

Os conteúdos originais produzidos pelas marcas e os gerados pelo usuário vão se consolidar como uma das grandes tendências para 2021 no e-commerce.

As empresas que já geram conteúdo em texto, áudio e vídeo sabem que é assim que conseguem se relacionar melhor com os consumidores. Se a sua marca ainda não se atentou para este ponto, faça com que ela entenda a importância de desenvolver uma comunicação empática e que gere valor para o público agora!

Uma imagem vale mais que mil palavras! E isso não poderia ser diferente ainda mais ao se falar em e-commerce. As lojas mais relevantes do mundo não usam imagens apenas nas páginas de produtos. Usam as imagens em todo o site de modo a atrair a atenção dos consumidores e convertê-los em clientes.

Quando planejamos abrir uma loja física, geralmente contratamos arquitetos para fazer o projeto, correto? Pois, sabemos a importância da aparência da loja para atrair os clientes para seu interior. Bem como fazer com que eles permaneçam o maior tempo possível ali e se sintam tão bem, a ponto de querer voltar. E por que com as lojas virtuais seria diferente?! Pois é, não é! E as ferramentas que permitem essa estratégia para as lojas virtuais são as imagens e vídeos.

4- Live Commerce

Podemos comparar o Live commerce, em outras palavras, como um primo mais novo do antigo televendas, lembra?! Por ele é possível fazer vídeos demonstrativos de produtos ao vivo com entretenimento e interação. Neles o público pode curtir, comentar, fazer postagens além de comprar com poucos cliques por meio de pagamentos instantâneos integrados aos aplicativos.

As vendas através desta estratégia movimentaram perto de US $60 bilhões em 2019 e deve superar os US$ 170 Bi em 2020, no mundo.

fonte: IResearch

Já aqui no Brasil com 160 milhões de smartphones em uso, a democratização do 4G e o sucesso das lives durante a pandemia, podemos esperar um grande sucesso para os e-commerces também com esta estratégia.

5- Muitos Vídeos

Os vídeos estão bombando como conteúdo digital. Ainda mais com o crescimento em 2020. Vídeos produtos, tutoriais e vídeos com conteúdos engraçados e de entretenimento, por exemplo, são além de tendências para o e-commerce em 2021, também tendências de conteúdo para 2021.

Os vídeos interativos, são como o nome já diz, vídeos onde o espectador consegue interagir com ele de alguma forma.

A mágica acontece a partir de uma série de ferramentas integradas às plataformas. Onde os espectadores podem clicar, arrastar, rolar a barra, passar o mouse e responder a perguntas. Ou mesmo, completando ações para interagir na transmissão do conteúdo.

Algumas das principais funcionalidades disponíveis são:

  • Hotspots: que cria “áreas clicáveis” dentro do vídeo e permite que o usuário, ao interagir, seja levado a uma outra página. Que pode ser diretamente relacionada ao conteúdo. Como por exemplo um complemento do assunto ou até mesmo um e-commerce de produto. Para estimular a compra de determinado item;
  • Visão 360°: que confere ao espectador a capacidade de enxergar a imagem, a girando em 360 graus;
  • Subdivisões: sinalizando que o usuário pode escolher diferentes caminhos na sua interação com o vídeo. Customizando os conteúdos que recebe enquanto vê;
  • Input de dados: que incorpora ao vídeo alguns campos informativos. Nestes conteúdos o espectador pode compartilhar seu nome, idade e o que mais o produtor do vídeo quiser incluir;
  • Quizzes: que combinam botões e ramificações para personalizar a experiência e dar resultados customizados no fim do vídeo.

Colocando as tendências 2021 em ação no seu e-commerce

Por fim, agora que você já sabe as principais tendências para o e-commerce em 2021. Assim como a importância dos conteúdos originais de imagem para seu e-commerce. Que tal agendar um bate papo com a nossa equipe e fazer a diferença na sua loja virtual?! Vamos juntos! #vemcomaRED

Gostou do conteúdo? Se inscreva para receber nossa newsletter!

Processando…
Sucesso! Você está na lista.
Categorias
Conteúdo tendências

10 Tendências para as redes sociais em 2021

Primeiramente, 2020 foi um ano de inúmeros desafios. Mas, o mercado online foi um dos grandes sucessos do ano. As redes sociais, se consolidaram como principal canal de entretenimento e conexão entre pessoas. E alguns paradígmas do e-commerce foram quebrados. Então, o que esperar para 2021? Neste post listamos as 10 tendências para as redes sociais em 2021 segundo os principais players e pesquisas do mercado. Boa leitura!

1. Multi Canais

Na visão dos executivos da Hootsuite, 2020 foi o ano de grande aumento de público nas redes sociais. Por outro lado, 2021 será o ano onde as marcas deverão focar na manutenção destes seguidores e na conversão em vendas. Para isso, será necessário criar experiências sociais online capazes de fortalecer a relação entre marcas e pessoas.

Além disso, a cada canal adicionado em sua estratégia de redes sociais pode aumentar seu ROI (retorno de investimento) e a eficácia em até  35%.

O consumo de conteúdos em áudio, também cresceu no último ano. As marcas devem aproveitar essa tendência e mudança no comportamento do público nas mídias sociais. Por exemplo, investindo na produção e/ou patrocínio de podcasts e em material audiovisual, como webinars, workshops, videoaulas, etc. 

2. Conteúdos divertidos e criativos

As pessoas usam as redes sociais para se relacionar, se informar e se divertir.

Em média, 32% da geração Z, geração do milênio, geração X e baby boomers dizem que “encontrar conteúdo engraçado ou divertido” é o principal motivo para usar a mídia social. Por isso, anúncios úteis e divertidos têm maior probabilidade de impulsionar as compras.

Em 2021, as marcas mais espertas devem descobrir como se encaixar na vida dos usuários nas redes. Elas devem encontrar maneiras criativas de participar da conversa, em vez de querer criá-la ou conduzi-la

“Crie diversão no processo de compra. Transforme seu Instagram e Pinterest no seu showroom.”

apontam os especialistas do Hootsuite

Campanhas de sucesso neste ano ajudarão a criar conexões entre as pessoas. Bem como, lhes fornecer momentos muito necessários de leveza e diversão.

conecte-se, como as redes sociais impactaram 2020 e quais as principais tendênciais para as redes sociais em 2021
foto RED produção Audiovisual

3. Vídeo como principal formato de conteúdo

O consumo de conteúdo em vídeos se destaca como uma das grandes tendências para as redes sociais em 2021 em diversos canais. Como por exemplo o aumento crescente do YouTube nos últimos anos. Hoje, perdendo apenas para o Google como site de maior tráfego do mundo.

Assim também o TikTok e o Instagram Reels, que são a nova febre do momento e com um alcance em ascensão. Ambos ótimas oportunidades para as marcas.

Além disso, uma pesquisa realizada em 2019 mostra que vídeos apresentam em média 2x mais comentários do que imagens estáticas e uma taxa de engajamento 38% maior.

4.Foco nos Stories

Conteúdos nos stories, ganham destaque nas tendências das redes sociais 2021. Ainda mais com praticamente todas as plataformas de mídias sociais com esse recurso como forma de engajamento.

Por exemplo, hoje, já é possível adicionar conteúdos temporários no Facebook, no YouTube, no Instagram, no WhatsApp, Twitter e até no Linkedin.

Esse modelo de postagem superou as imagens e os vídeos disponibilizados no feed. Por ser mais dinâmico e ampliar o engajamento, se tornou um dos preferidos do público e das marcas. Assim também com o apelo de ser um conteúdo efêmero. Pois, a publicação fica diponível por apenas um determinado período.

5. Era das Lives

As Lives continuam como uma tendência forte. Acelerada pela pandemia do coronavírus, fazer live se tornou um recurso extremamente utilizado em 2020. Apesar de sempre ter sido uma ótima ideia, pois é um tipo de conteúdo que tem um engajamento bem alto. Afinal, por ser ao vivo, permite que os usuários façam interações simultâneas. Durante a pandemia várias lives fizeram sucesso, desde as Lives do Átila Iamarino até os diversos shows live.

É um tipo de conteúdo que atrai muito o usuário, já que é mais íntimo, não tem nenhum filtro e permite conhecer a marca como ela realmente é. Se você não faz lives nas redes, é uma opção a se pensar para 2021.

 Mais de 800 milhões de pessoas assistem a elas todos os dias ao redor do mundo. Fundamentais na pandemia, devem se manter ao longo do próximo ano em maior ou menor grau – a depender do sucesso no enfrentamento a Covid-19.

6. Social Commerce

Social Commerce ou comércio social é quando o consumidor consegue utilizar a própria rede social onde ele está navegando para fazer alguma compra. Ao passo que agora ele não precisa mais ser direcionado para o e-commerce da marca.

Esse estilo de shop integrado facilita para os usuários efetuarem as compras e teve um bom crescimento em 2020. Os principais são Facebook e o Instagram Shop.

Ao passo que o Pintarest também possui um shop integrado muito bom que leva diretamente para a shop do e-commerce, de forma ituitiva. Em contrapartida o Whastapp, está negociando diretamente com o Banco Central a possibilidade de pagamento direto pela plataforma.

7. Propósito

A construção de uma marca moderna está mudando. Sessenta por cento dos Millennials e Gen Z disseram à Deloitte que planejam comprar mais de grandes empresas que cuidaram de sua força de trabalho e afetaram positivamente a sociedade durante a pandemia.

As empresas precisam se adaptar a essas mentalidades e expectativas socialmente conscientes. Mas tornar-se uma empresa com propósitos não é algo que você possa fingir. É aqui que muitas marcas tropeçaram em 2020. Eles responderam a questões importantes como se fossem simplesmente novas tendências de mídia social. Seus posts foram rapidamente chamados de hipócritas.

Propósito e realidade são tendências fortes para o branding marketing de 2021.

arte

8. MICRO INFLUENCIADORES

Os influenciadores digitais surgiram nos últimos anos e se destacaram por se tornarem um canal de aquisição para marcas. Ao passo que esta estratégia se tornou popular, as marcas procuraram atingir públicos distintos, muitas vezes nichados. Porém, uma das tendências das mídias sociais nesse mercado é a exigência da inovação por parte dos influenciadores a fim de sobressaírem em um mercado atualmente saturado.

Com isso, continua a tendência de colocar o foco em micro-influenciadores, pessoas com nichos mais específicos e menos seguidores, cujo senso de comunidade e segurança nas opiniões apresentadas é maior do que o de públicos que seguem macro-influenciadores.

Assim como os nichos afetam as redes, também afetam os influenciadores. A ideia é semelhante, já que os grandes influenciadores têm um grande alcance e chegam em muitas pessoas, mas a interação com eles não é tão expressiva. Por isso, cada vez mais marcas apostam em anúncios com micro influenciadores.

Essa mudança não significa o fim dos grandes influenciadores. O novo normal será uma mescla entre os grandes influenciadores e os menores. Do mesmo modo que essa escolha dependerá do tipo de público, produto ou serviço que a empresa trabalhe.

Esse tipo de campanha tem maior resultado tanto quanto em eficácia, como exige menor custo de investimento.

9. Novo público com mais acesso as redes sociais e que perderam o medo do e-commerce

Os baby Boomers, descobriram de vez a internet em 2020. A geração dos nascidos entre 1946 e 1964, foi uma das mais afetadas pela pandemia e foi também a população que precisou cumprir ainda mais o isolamento social rígido. Com isso, diversos paradigmas foram quebrados, como a falta de conhecimento da tecnologia e o medo de comprar pela internet.

Segundo dados da pesquisa, 75% dos usuários nessa faixa comprou algo online somente em novembro de 2020.

pesquisa Hootsuite Digital 2020

Para quem acha que as campanhas deste nicho devem se limitar à televisão, é hora de repensar a estratégia.

Um cuidado, no entanto, é não tratá-los da mesma forma que os mais jovens. A pesquisa mostra que essa é uma faixa com interesses próprios na internet, que vão de esportes e jardinagem à bricolagem.

Embora o Facebook seja a plataforma mais usada por essa faixa, a segunda rede mais relevante é o Pinterest . Então é preciso marcar sua presença lá e entender o que querem os usuários dessa rede.

10. Uso inteligente de dados

O uso de dados promove uma conexão valiosa entre empresas e o público. No entanto, nem todas interações feitas por meio das redes sociais irão resultar em novos clientes ou relacionamento de longa data com consumidores, pois muitos deles podem ser spam, por exemplo.

Por essa razão, é necessário aprofundar a análise dos dados obtidos em cada rede. E apartir desta analise, investir traçar as estratégias de comunicação e marketing de modo a atiungir melhores resultados.

Tendências para as redes sociais em 2021 – Resumindo e partindo para a ação

Em conclusão, após lermos todas estas tendências para as redes sociais em 2021, podemos nos preparar melhor para os desafios deste novo ano.

Entendemos que mais do que nunca, as redes sociais terão um papel primordial no sucesso dos negócios. E que produzir conteúdo original para a sua empresa não é só mais uma opção, mas uma urgência!

Aqui na RED temos uma equipe especializada e atenada com as principais tendências do mercado audiovisual e de conteúdo online para poder contar a história da sua empresa, e impactar ainda mais pessoas.

Envie uma mensagem pra gente e #vamosjuntos!

Gostou do conteúdo? Se inscreva para receber nossa newsletter!

Processando…
Sucesso! Você está na lista.
Categorias
Fotografia

O que é manipulação de imagem?

Você sabe o que é manipulação de imagem? Manipulação de imagem e tratamento de imagem são a mesma coisa? Até que ponto photoshopar uma imagem é legal? Neste post vamos falar sobre manipulação de imagem. Como a manipulação de imagem está se tornando parte do nosso dia a dia, até mesmo de quem não trabalha com fotografia.

O que é tratamento de imagem?

Tratamento de imagem é o nome dado a edição básica das fotos digitais. Os toques básicos para “revelar” as imagens. Pois, com a fotografia digital, todo o trabalho do laboratorista fotográfico teve de ser migrado para meios digitais. Com isso surgiram os diversos programas para o tratamento das fotos, sendo os mais utilizados o Photoshop e o Lightroom.

Speed Art edição fotografia de produto still para e-commerce

Os principais tratamentos de imagem são:

  • Balanço de Branco (white balance)
  • Saturação
  • Contraste
  • Exposição
  • Nitidez

O Arquivo cru ou =RAW

O arquivo gerado durante a captação de imagens nas câmeras profissionais (durante o clique) é um arquivo RAW, em outras palavras, um arquivo cru. Pois nele contém todas as informações da imagem tal qual captadas pelo sensor da câmera. Por isso, é necessário passar este arquivo por estes programas digitais, para “revelar” a imagem conforme o fotógrafo deseja e transformá-la em JPG, que é o arquivo de imagem mais utilizado atualmente.

Um arquivo RAW é um arquivo completo e por isso, um arquivo bem pesado. Por outro lado o JPG é um arquivo compactado, mais leve, porém nessa compactação se perdem algumas informações das imagens e certa qualidade. Porém, para o uso online, as imagens ainda precisam ter um peso menor, pois isso ajuda a navegação ser mais rápida nos sites, portais e redes sociais.

O que é manipulação de imagem?

Speed Art edição de fotografia para campanha institucional

Com a popularização dos programas de edição de fotos, sobretudo com a internet a manipulação de imagens vem sendo alvo de duras críticas. Muitos exageros foram cometidos por alguns profissionais de retouch, tanto quanto na fotografia comum, editorial e publicitária.


Criticas a parte, seja como for, a realidade é que na fotografia digital profissional as fotos nunca saem da câmera prontas. Primeiramente elas precisam ser “reveladas” através destes programas. Através deles podemos calibrar e realçar cores, melhorar a nitidez e claridade das imagens e muitas outras melhorias. Além, é claro, das clássicas manipulações de imagem como retirar espinhas, celulites e olhos vermelhos. Mas, na real, o que difere um termo de outro?

Manipulação de imagem x Tratamento de imagem

Tratamento de imagem: É o termo utilizado para nomear as melhorias a serem feitas nas fotos digitais. Os retoques básicos mais utilizados são calibração de cores, nitidez, contraste, luminosidade e transformação de arquivos. MIigrar de RAW para JPG, por exemplo. Assim como transformar de alta para baixa resolução.

Manipulação de imagem ou Retouch/ Retoque digital: Chamamos de manipulação de imagem toda a alteração feita na imagem real fotografada. Por exemplo: limpeza de pele, retirada de celulites, retirada de defeitos nos produtos, montagem de fotos e muitos outros.

A Manipulação de imagem já ocorria muito antes da fotografia digital. Os profissionais faziam montagens das fotos através da junção dos negativos e outras técnicas feitas manualmente. Com o advento da fotografia digital e programas como o Photoshop o trabalho ficou um pouco mais fácil. Mas, trabalhos profissionais de qualidade ainda levam bastante tempo para um resultado de manipulação de imagem limpo e preciso.

Por aqui na RED produção audiovisual usamos diariamente tanto quanto a manipulação de imagens e o tratamento de imagens. A escolha do uso de um ou ambos é feita de acordo com cada trabalho a ser realizado. Suas peculiaridades, veiculação, orçamento do projeto, entre outros.

Quer saber mais? Envie sua pergunta aqui abaixo que ficaremos felizes em responder!

Processando…
Sucesso! Você está na lista.