Categorias
Fotografia

Fotos para delivery – Fotografia gastronômica

A busca por Delivery de comidas cresceu quase 27% em 2020 consequentemente a busca por fotos de Delivery também aumentou. Então, neste post buscamos dar uma pincelada com as principais dicas de fotos para delivery que todo fotógrafo ou dono de restaurante precisa saber!

Siga nossas redes sociais


Precisa de ajuda na produção de fotos da sua empresa?

Fale com a RED!

O Delivery

O Delivery de comida é uma forma de compras que já existe há bastante tempo, mas nos últimos 10 anos vêm se aprimorando cada vez mais. Principalmente com a chegada dos aplicativos de entrega.

Ao mesmo tempo com a pandemia, os restaurantes tiveram que se reinventar e investir pesado no Delivery para manter suas portas abertas de alguma forma.

Muitos consumidores também aderiram a esta forma de comprar refeições, tanto prontas quanto congeladas, e este é um hábito que promete continuar mesmo após a pandemia devido a sua praticidade.

Fotos para Delivery

A fotografia de gastronomia para Delivery e Cardápios tem alguns segredos que ajudam a mostrar melhor os pratos para o cliente de delivery.

Diferente das fotos de cardápio tradicionais, ou mesmo das fotos feitas para as redes sociais dos restaurantes, a fotografia de delivery precisa apresentar bem o prato, gerar o desejo de comer e não ter tantas distrações, afinal, a tela onde o cliente irá ver a foto é bem pequena. Então quanto mais elementos estiverem na cena, menor será o prato principal. Que é afinal o que queremos apresentar ao cliente neste momento.

45 graus

fotografia para delivery restaurantes fotos de comida red produção audiovisual
foto RED Produção Audiovisual para Ruaa

O ângulo de 45 graus é um ângulo coringa nas fotos de gastronomia. Ele se assemelha ao nosso olhar quando estamos sentados a mesa olhando para a refeição.

É o ângulo muito utilizado também nas fotos de cardápio tradicional impresso. Pois ajuda a inserir o espectador na cena, o convidando para a refeição apresentada e gerando o desejo.

Este ângulo não é uma regra inquebrável, mas um coringa que auxilia na apresentação dos pratos e que serve para 99% dos pratos dos restaurantes.

O prato

A atenção na montagem do prato é essencial, principalmente quando não temos uma culinarista para auxiliar nas fotos. A culinarista é a profissional especializada em embelezar os alimentos e pratos para as produções publicitárias. Mas, nem sempre é possível contar com esta profissional na equipe. Principalmente para pequenas produções.

Porém uma boa apresentação da refeição servida é imprescindível! Peça para o chef uma montagem impecável e atenção redobrada na limpeza do prato. Alguns detalhes básicos como empratar os alimentos separadamente e selecionar os alimentos mais bonitos para a foto já ajudam bastante.

É importante entender também que o dia das fotos de alimentos deve ser muito bem planejado e que os pratos montados para as fotos não serão vendidos. Pois é preciso que o fotógrafo possa mexer nos ingredientes o quanto achar necessário. E o tempo de cada foto, pode variar de cada prato.

É importante também, que as fotos sejam agendadas fora do horário de pico do restaurante, para que o chefe e a alguém da equipe da cozinha, possam estar 100% focados para este trabalho. Esta parceria alinhada fará toda a diferença no resultado final.

Burgers

fotos para delivery fotografia de gastronomia red produção audiovisual
foto RED Produção Audiovisual para BNB Burgers

Para as fotografias de burgers e sanduiches em geral, o interessante é posicionar a câmera de frente e descê-la um pouquinho. Se for preciso, puxe o pão de cima para trás. Com este ângulo você conseguirá mostrar melhor a carne e os complementos.

Aqui apresentar cada camada de recheio e cada ingrediente que compõe o sanduiche é essencial para que o cliente do delivery consiga entender o que irá comprar.

O ângulo mais de baixo para cima também evidencia as camadas dos sanduíches além de valorizar o ingrediente principal que é o hamburguer, seja ele de carne ou vegano.

Top View

fotos para delivery red produção audiovisual fotografia de gastronomia
foto RED Produção Audiovisual para Rizzo Italian Gourmet

Este ângulo de cima em 90 graus, também conhecido como flat lay, é muito usado nas redes sociais. Neste ângulo você pode aproveitar para mostrar a variedade de pratos que o restaurante trabalha.

Além disso, também é muito usado para a capa dos restaurantes nos apps de delivery e pode ser também utilizado para o site.

Aqui além dos pratos podemos utilizar ingredientes frescos e objetos que mostrem bem a identidade do restaurante.

Podemos entendê-la como uma vitrine, por exemplo, que irá convidar aos clientes a entrar para conhecer mais sobre a sua loja.

Na RED trabalhamos com fotografia para delivery, cardápios e e-commerces de restaurantes a indústria alimentícia. Atendemos diversos clientes como o Swift, Cafés Suplicy, Fuchs indústria de alimentos e temperos, Rizzo Gastronomia, C’addoro Restaurante, Yoi Rolls and Temakis, entre outros.

Além de trabalhar com fotografia de alimentos, também trabalhamos com produção de vídeos para as redes sociais e sites, que dão água na boca e são mais uma forma incrível para dar um up no seu marketing digital com estratégia voltada para levar ainda mais clientes para o Delivery e para as lojas físicas.

Envie uma mensagem pra gente e saiba como a RED pode te ajudar nessa missão. Vamos juntos!

Gostou do conteúdo? Se inscreva para receber nossa newsletter!

Processando…
Sucesso! Você está na lista.
Categorias
Fotografia

Fotografia é arte?

Fotografia é arte? Essa pergunta é feita desde a invenção da fotografia e até hoje reaperece de tempos em tempos nas rodas de conversas e de estudos. Mas, será que a fotografia pode ser considerada uma forma de arte?

Siga nossas redes sociais

Precisa de ajuda na produção de fotos da sua empresa?

Fale com a RED!

Como essa discussão começou?

Daguerre apresentou a fotografia em 1839 para a Academia Francesa de ciências e desde então uma pergunta surgiu: Fotografia é arte?

A nova tecnologia apresentada não foi tão bem recebida pela sociedade da época, principalmente pelos principais artistas do período. As principais obras deste período eram as pinturas desde retratos de personalidades e pessoas abastadas até obras sacras encomendadas pela igreja, por exemplo.

A discussão foi tão grande que até o Vaticano se reunião para decidir se a nova técnica era pecado ou não.

Fotografia é um ato mecânico?

Dentro das primeiras discussões sobre a pratica da fotografia versus as artes das pinturas, surgiu a Photographic Society of London, fundada em 1853, e foi lá que um dos defensores da fotografia afirmou que a fotografia era uma técnica literal demais para competir com as obras de arte porque era incapaz de elevar a imaginação.

Esta concepção de fotografia como ato mecânico não acabou, mas com a fotografia sendo exposta em inúmeras galerias de arte do mundo, vem diminuindo muito.

 A fotografia para eternizar pessoas

As primeiras fotografias precisavam de longas exposições por isso, captar fragmentos de movimentos era uma tarefa impossível. A primeira fotografia conhecida de uma pessoa foi tirada por Daguerre com Henry Fox Talbot em 1838 em Paris.

A foto dele com o engraxate que lustrava seus sapatos precisou de 10 min de exposição, o que significa que pedestres que passavam no entorno não seriam registrados na imagem.

As imagens captadas nas fotografias era tão fiel as características das pessoas retratadas que a sociedade então logo ficou eufórica para ter seus retratos registrados pela nova técnica.

A arte inspira a fotografia

Os pioneiros da fotografia de retratos logo perceberam que os retratos, bem como as pinturas, eram construídos artificialmente. Através do posicionamento da luz e da direção da pessoa retratada. 

Julia Margaret Cameron foi a primeira fotógrafa a fazer fotografias inspiradas diretamente na arte.

Ela produziu uma sériede fotografias inspiradas na arte sacra. Depois que Câmeron, muitos outros fotógrafos também se inspiraram em obras de arte para construir suas fotografias.

Resting in Hope; La Madonna Riposata, 1864 Júlia Margaret cameron - Fotografia é arte?
Foto de Júlia Margaret Cameron Resting in Hope; La Madonna Riposata, 1864

A arte inspira a fotografia, mas a fotografia inspira a arte?

Quando a fotografia deu o seu primeiro salto de popularização, no final de 1872, foi justamente quando os impressionistas começavam a trabalhar ao ar livre. Ao passo que os artistas impressionistas utilizaram a nova técnica como inspiração para aperfeiçoar sua arte.

Se inspiram na fotografia nas características como ângulos, luz e sombra, contrastes, granulação.

“Degas recorre sem preconceitos ao auxílio da fotografia, que revela aspectos ou momentos do verdadeiro que escapam à vista; como a fotografia, a pintura deve ver e tornar visíveis coisas que o olho não vê e, principalmente, fornecer uma imagem instantânea onde a vista e a mente ainda não conseguiram separar a coisa que se move do espaço onde se move.”

(ARGAN, 2004, p. 106)

A pintura “After the bath” de Degas, 1896 e a fotografia feita por ele que serviu de inspiração para o quadro.

As novas possibilidades com a fotografia digital

Com a evolução da tecnologia fotográfica, novas ferramentas foram sendo disponibilizadas para uso dos fotógrafos e com a criatividade de cada possibilitando criar trabalhos cada vez mais complexos.

A fotografia digital e os softwares de edição, permitem que a criatividade seja ainda mais explorada.

A cada ano novas ferramentas são criadas e ou aprimoradas permitindo ainda mais intervenções nas fotografias. E surgiram por exemplo as junções entre diversas artes, como nas colagens, por exemplo onde os artistas unem a fotografia digital com diversas outras técnicas de arte.

Para nós a fotografia é uma forma incrível de arte. E que está em constante transformação, acompanhando a evolução humana e das sociedades e nos permitindo tanto registrar momentos históricos e pessoais, como também expressar nosso sentimento e criatividade.

Amor pela fotografia e amor por contar boas histórias é o que nos move!

Gostou do conteúdo? Se inscreva para receber nossa newsletter!

Processando…
Sucesso! Você está na lista.
Categorias
Fotografia

O que é a Regra dos Terços?

Você já deve ter reparado naquela grade que aparece ao acessarmos a câmera do celular ou na tela da nossa câmera fotográfica. Mas, o que é a regra dos terços e o que ela tem a ver com aquela grade na tela da sua câmera ou celular? É sobre isso que vamos conversar hoje. 

Assista ao nosso vídeo sobre regra dos terços na fotografia
Fotografia de catálogo de moda para a Bokker Jeans RED Produção Audiovisual
foto RED Produção Audiovisual para a Bokker Jeans

O que é a Regra dos Terços?

A regra dos terços é uma das regras básicas de composição fotográfica.  
Pra quem está inciando na fotografia, ou está apenas querendo entender um pouco mais sobre o assunto e melhorar suas fotos, composição fotográfica é basicamente a organização dos elementos dentro da sua foto. E a regra dos terços é uma guia pra te ajudar a organizar os elementos de uma forma harmônica e equilibrada. 

 Mas, pra que ela serve?


Essa regra é usada tanto na fotografia quanto em obras de arte, arquitetura, filmes, design. 

 
Ela consiste em dividir sua imagem em 3 partes horizontais iguais e 3 partes verticais tambem iguais, formando 9 quadrantes proporcionais e 4 pontos de intercecção. 

 
Você já deve ter visto essa grade na tela da sua câmera ou na camera do seu celular. Se não viu, ative essa função para começar a treinar. 
 

Tá, mas o que eu faço com isso? 
 

Os 4 pontos de intercecção são as regiões da imagem que mais chamam a atenção dos olhos humanos, sendo assim, é neles que você vai posicionar o seu elemento principal. 


Usamos tanto os pontos quanto as linhas para posicionar os elementos que queremos dar destaque (não é à toa que elas são chamadas “linhas de interesse”). Quando fotografamos pessoas, costuma-se posicionar os olhos na a linha horizontal superior. 
 
A regra dos terços pode ser usada de diversas maneiras para melhorar suas fotos. Você pode dividir a sua imagem em 3 faixas horizontais ou 3 faixas verticais e distribuir os elementos na proporção de 2 para 1. 
 

Exemplos práticos de como usar a Regra dos Terços

Podemos dividir nossa foto horizontalmente em 3 partes, deixando um elemento no terço de baixo e o outro nos 2 terços de cima.  

O que é a Regra dos terços na fotogfrafia? RED produção audioviosual
Foto Banco de Imagens

 
Nesta imagem podemos ver claramente esta divisão, onde temos a água ocupando o terço  inferior e o céu ocupando os 2 terços superiores.  

O que é a Regra dos terços na fotografia? Dicas de composição RED Produção audiovisual
Foto Banco de Imagens

Já nesta outra vemos o inverso, o céu ocupando o terço superior e a agua e a areia ocupando os terços inferiores. 

 
Reparou que nas duas fotos temos a linha do horizonte alinhada com uma das linhas horizontais? Então, esse pode ser o ponto inicial ao pensar a composição da sua foto. 
 
Podemos, também, fazer a divisão vertical em 3 partes, usando o mesmo raciocínio.

Regra dos terços. Dica de composição fotográfica. Dicas de fotografia. RED Produção Audiovisual
foto Banco de Imagens

Aqui temos nosso elemento principal ocupando o terço direito da imagem e nos outros 2 terços temos elementos complementares e um espaço de respiro na imagem.  

Regra dos Terços. Regras de composição fotográfica RED Produção audiovisual
foto: Banco de Imagens

Nesta outra imagem, temos o oposto. 

 
Reparou que nas duas imagens os modelos estão olhando para o espaço livre da foto? Essa é uma outra dica interessante para a sua composição.  

Do contrário, pode passar uma sensação claustrofóbica (mas se for intencional, tudo bem. A foto é sua, você faz o que quiser). 
 

 
A regra dos terços não se limita a fazer apenas uma ou outra dessas divisões que falamos. Muito pelo contrário. Quanto mais combinamos essas divisões mas interessantes vão ficando nossas fotos. 

Regra dos terços. Composição Fotográfica. RED Produção Audiovisual
foto Banco de Imagens

Aqui podemos ver claramente essa organização na regra dos terços. Temos a pessoa ocupando o terço direito e os outros 2 terços livres. Ao mesmo tempo temos as montanhas ocupando o terço inferior e o céu ocupando os 2 terços superiores.  


Mas, a Regra dos Terços é uma lei única?

E se eu fotografar a pessoa no centro da foto, tá errado? 

Não existe “certo e errado” em fotografia, e na regra dos terços também cabe foto centralizada, respeitando as devidas proporções.  
 
Como podemos ver, a regra dos terços, apesar de básica, é uma ferramenta poderosa pra você começar a entender sobre composição fotográfica e fazer fotos mais interessantes.  


Lembre-se sempre que não é uma regra fixa nem é a única regra. Encare-a como um guia e explore todas as possibilidades. 
 
Boas fotos

Gostou do conteúdo? Se inscreva para receber nossa newsletter!

Processando…
Sucesso! Você está na lista.

Gostou do conteúdo? Se inscreva para receber nossa newsletter!

Categorias
Fotografia

Os 3 pilares da fotografia

Você gosta de fotografia e está querendo saber mais sobre o assunto? Ou você que precisa fazer os conteúdos da sua empresa e quer melhorar os resultados das suas imagens?Então esse post é pra você! Entendo os 3 pilares da fotografia você vai melhorar suas fotos e sair da dependência do modo automático da sua câmera ou celular! 

Se preferir, assista ao nosso vídeo sobre os 3 Pilares da fotografia

O que são os 3 pilares da fotografia?

Os 3 pilares da fotografia são: Abertura, Velocidade e ISO. São os pilares da fotografia pois com o domínio deles você consegue realmente criar um a imagem seja foto ou vídeo em sua câmera.

Primeiro de tudo vamos falar de exposição. Exposição se refere a quantiadade de luz que entra no sensor de sua câmera.  

Basicamente é o quanto sua fotos ficarão mais escuras ou mais claras. 

Se a imagem ficar muito clara, está superexposta, ou seja, entrou “muita luz”. Se estiver muito escura está subexposta, ou seja, entrou  “pouca luz”.  

E Nós podemos controlar o quanto de luz entra no sensor mudando a Abertura, Velocidade  o ISO. 

Abertura 

Abertura se refere a abertura do diafragma. O diafragma é um dispositivo composto por lâminas que aumentam ou diminuem a passagem de luz dentro da objetiva (lente) da câmera.  

Quanto mais aberto mais luz e quanto menos aberto, menos luz. 

O tamanho da abertura do diafragma é indicado em numerações f/x. Quanto maior o numero f/x, menor é a abertura da objetiva. Por exemplo, em f/22 teremos um diafragma bastante fechado, menos luz entra e mais foco em toda a cena. Enquanto em f/1.8 teremos um diafragma mais aberto, mais luz entra e menor é o ponto focal e maior é o desfoque no restante da cena. 

Velocidade 

A velocidade é equivalente a velocidade em que o obturador da câmera se abre e se fecha. O Obturador é reponsável por permitir a entrada de luz no sensor da câmera. Que é onde a fotografia será impressa. (é uma analogia tá! Nas câmeras digitais esta impressão é digital gravada no cartão de memória.  

Bem, podemos pensar no obturador como uma cortina. Que se abre e fecha. Então quanto mais rápido ela fecha, menos luz entra e atinge o sensor. E quanto mais lento ela se fecha mais luz entra e atinge o sensor.  

Ah legal, mas na prática o que isso afeta na minha foto?! 

A velocidade vai afetar em sua foto se ela terá ou não o congelamento da cena.  

Por exemplo. Se você está fotografando um objeto em movimento e usar alta velocidade, você irá congelar aquele movimento. E caso você use uma velocidade mais baixa, você irá captar mais momentos daquele movimento. Ou seja, vai dar uma borradinha na sua foto. Você pode usar esta função como um elemento criativo em suas fotos.

Ah, mas eu não to fotografando nada em movimento. Posso usar então velocidade baixa? 

Depende! 

Ao usar um tripé, ele irá ajudar a manter a sua câmera estabilizada e paradinha para não tremer. Mas, se você não estiver usando um tripé, é muito provável que a foto saia tremida.  

ISO

Nas câmeras analógicas o ISO era definido pelo tipo de filme que você iria utilizar. Já nas câmeras digitais e celulares, o ISO se tornou mais uma variável que pode ser ajustada conforme a nossa necessidade. 

Flat Lay rolos de filme ISO 3 pilares da fotografia RED produção Audiovisual
Fotografia por RED Produção Audiovisual

 O ISO equivale a sensibilidade do sensor à luz.  

Ou seja, quanto maior a sensibilidade, necessito de menos luz entrando através do diafragma e do obturador para uma foto mais clara. E quanto menor a sensibilidade do ISO, maior é a quantidade de luz que precisa entrar através do nosso obturador e diafragma.  

Só que… não existe almoço grátis! Quanto maior a sensibilidade do ISO, maior é granulação que terá a sua imagem.

Esses são os 3 pilares da fotografia! Entendendo como eles funcionam e como se relacionam, você poderá explorar todos os seus recursos e criar imagens incríveis!  

E muito importante! quanto mais você fotografar, mais fácil ficará escolher qual a combinação que você irá utilizar para cada momento!  

Boas fotos! 

Gostou do conteúdo? Se inscreva para receber nossa newsletter!

Processando…
Sucesso! Você está na lista.
Categorias
Fotografia Marketing

Por que investir em fotos profissionais?

Você já deve ter ouvido que uma imagem, vale mais que mil palavras, não é mesmo? Mas, será que esta frase de Confúcio, dita lá no século VI ainda se mantém atual nos dias de hoje? A resposta é: mais do que nunca! Hoje com o mundo globalizado e conectado, as imagens são ainda mais importantes para qualquer negócio. E a melhor forma de produzir imagens é com a fotografia profissional! A seguir listaremos os 6 principais motivos de por que você deve investir em fotos profissionais para sua empresa.

Siga nossas redes sociais

Precisa de ajuda na produção de conteúdo para as suas redes sociais?

Fale com a RED!


Imagens são uma linguagem universal

por que investir em fotos profissionais?
fotografia de gastronomia por RED produção audiovisual para YOI rolls and temakis
foto: RED Produção Audiovisual para YOI Rolls and Temakis

Como falamos acima, em um mundo globalizado e conectado, a importância das imagens é cada vez maior. A internet proporciona um alcance muito maior que lojas físicas, por exemplo, que se limitam ao público que passa ao redor dela. Com a internet a sua praça é o mundo inteiro!  E as imagens são uma linguagem universal. Assim você consegue explorar ainda melhor todo esse potencial de alcance.

Segundo uma pesquisa dos estúdios Neomam, apenas um décimo de segundo é o suficiente para você entender uma cena visual. As pessoas lembram 10% do que ouvem, 20% do que leem e 80% do que veem. 

Fotografia profissional aumenta o valor de sua empresa

A fotografia profissional te ajuda a aumentar o valor da sua empresa pois ela te auxilia no branding. Uma imagem de marca bem definida, com estratégias não se resumem só a um ótimo logo. As fotografia ainda mais também são parte importantíssima nessa missão. Elas te ajudam a contar a história da sua marca e criar conexão com seu público.

Com a facilidade de produção de imagens hoje, afinal qualquer pessoa possui um celular com uma câmera fotográfica, a melhor forma de se diferenciar é com a fotografia profissional.

Uma fotografia profissional é a primeira impressão que a sua empresa terá por parte de seus clientes. E igualmente fará toda a diferença em como sua marca é percebida. Se é ou não confiável. Se possui bons produtos. Etc.

82% dos investidores dizem que a força da marca e o reconhecimento do nome são fatores cada vez mais importantes para orientar suas decisões de investimento.

 Bem como apresentar uma marca consistentemente pode aumentar a receita em uma média de 23%.

fonte: Deskfy

Fotografia profissional agrega valor ao seu produto

Fotos profissionais auxiliam na jornada de compra do cliente. Conforme pesquisa realizada pelo customer thermometer  65% dos participantes informaram ter criado uma conexão com a marca por ela ter auxiliado a solucionar seus problemas ou atendido a seus interesses. Uma fotografia de produto bem realizada pode ajudar a quebrar paradigmas de mercado. Principalmente nas campanhas de publicidade on ou offline.

Com fotografias de produtos bem feitas, você consegue agregar ainda mais valor a seu produto. Por exemplo: você trabalha com produtos de decoração que o seu concorrente também vende. Como você se diferenciará dele? Fotografar seus produtos com stills e-commerce de alta qualidade e ainda fazer fotos dos produtos ambientadas com sugestões de composição, poderão ser o diferencial que faltava para a decisão final e compra do seu cliente!

Foto: RED Produção Audiovisual para Theodora Home

Fotografia profissional te torna mais conhecido

As campanhas de marketing com fotografias profissionais já são antigas conhecidas da grande maioria das empresas. E ainda geram ótimos resultados. Mas, você sabia que hoje em dia você tem ainda mais possibilidades de tornar sua empresa mais conhecida pelo público?!

As redes sociais estão presentes em 88% da população brasileira. Então, por que não aproveitar essa oportunidade?! As redes sociais são altamente visuais. E produzir fotografia profissional focada para elas é uma estratégia de marketing de conteúdo que tem ajudado marcas a se tornarem mais conhecidas de seu público.

Retrato corporativo de executivo de terno sentado a mesa do escritório segurando um avião de maquete
foto: RED Produção Audiovisual para Grupo Brasanitas

Melhora seu SEO

Fotos profissionais são uma fonte adicional de tráfego. Ao passo que em 2013, o Google anunciou uma mudança no sistema do Google Imagens, implementando um botão de “Ver imagem”. Se o usuário clicasse ali, era direcionado à URL da imagem em questão, não precisando visitar seu site de origem.

Posteriormente, nos meses seguintes dessa mudança, o tráfego geral de visitas pelo Google Imagem caiu muito. Porém, em fevereiro desse ano, a empresa anunciou uma nova mudança que revertia a situação: agora não há mais botão “Ver imagem”, o que obriga os usuários a acessar os sites para encontrar a mídia em tamanho completo. O resultado? Um aumento geral de 37% de acessos pelo Google Imagens. Impressionante, não é mesmo?

Além disso, utilizar fotografia profissional em seu site e blog, ajudam a viralizar seu conteúdo. Por exemplo: posts com imagens costumam ter 650% mais engajamento do que artigos apenas com palavras.

Economia e maior retorno do investimento

Contratar um fotografo profissional para realizar suas fotos, é uma garantia de economia e melhor retorno de investimento. Ah, mas fotografia profissional é cara! Experimente contratar um não profissional para este trabalho! Mesmo que seu investimento inicial pareça ser mais baixo, muito provavelmente as fotografia entregues não lhe trarão o retorno em branding e confiabilidade que uma fotografia profissional traria. Além disso, um fotografo não especializado, não saberá qual o melhor tipo de iluminação, ângulos e demais propriedades que aquela foto precisa ter para realizar a função desejada. Por exemplo: você sabia que retratos corporativos possuem uma linguagem com ângulos e demais características específicas para passar maior autoridade profissional?

Então, contratar um fotógrafo profissional para fazer suas fotos é um investimento. Que deve estar listado desde o escopo inicial do projeto. Assim você terá muito mais economia, pois não precisará refazer um trabalho mal feito e terá muito mais retorno com o dinheiro investido.

Contar histórias com imagens é a nossa missão. E portanto estamos sempre em busca da melhor forma de contar estas histórias. Com linguagem criativa e autêntica. Gerando conexões reais. Envie uma mensagem pra gente e vamos juntos!

#amorporcontarboashistórias

#muitomaisqueumaprodutora

Gostou do conteúdo? Se inscreva para receber nossa newsletter!

Processando…
Sucesso! Você está na lista.
Categorias
Fotografia

A evolução das câmeras fotográficas

A primeira fotografia clicada data de 1826 de autoria do francês Joseph Nicéphore Niépce. No entanto, não podemos chamá-lo de criador da fotografia. Pois, a criação da fotografia só foi possível devido a diversas descobertas feitas por químicos e físicos, até a sua primeira realização. Mas, isso é um assunto para um novo post. Agora vamos traçar uma linha com a evolução das câmeras fotográficas do século XIX aos dias de hoje.

As primeiras câmeras fotográficas

O conceito de fotografia já existe desde o século V a.C. mas, foi apenas no século XI que a arte de reproduzir imagens nasceu.

Foi um cientista iraquiano utilizou uma tenda escura com um buraco de alfinete para poder projetaras imagens. Mesmo assim a câmera ainda não era capaz de gravar estas imagens. Além disso, as imagens estavam de cabeça para baixo. Porém , era possível utilizá-las para criar desenhos precisos de objetos reais.

E então, somente no século XVII que a câmera obscura se tronou pequena o suficiente para ser portátil, como também ganhou lentes para focalizar a luz.

As primeiras imagens realmente registradas por uma câmera fotográfica

A fotografia da mesma forma como conhecemos hoje, iniciou em 1830 na França com Joseph Nicéphore Niépce. Joseph usou uma câmera obscura portátil com uma placa de estanho revestida com betume para tentar gravar a imagem ao mesmo tempo esta era progetada através da câmera.

Este sucesso levou a uma série de experimentos e a fotografia progrediu muito rapidamente. Simultaneamente em meados do século XIX daguerreótipos, placas de emulsão e placas úmidas foram desenvolvidas.

Daguerreótipos

Percursor do cinema moderno, os Daguereótipos foram antes de tudo uma colab entre Niépce e Louis Daguerre.

Esta placa de cobre revestida com prata e exposta ao vapor de iodo antes de ser exposta à luz, foi em suma um marco para a fotografia.

Para gravar a imagem na placa, os primeiros daguerreótipos tiveram que ser expostos à luz por até 15 minutos.

Este método se tornou muito popular. Por fim, sendo substituído apenas em 1850 pelas placas de emulsão.

1839, Daguerreótipo: o primeiro equipamento fotográfico criado em escala comercial.

Placas de Emulsão

As placas de emulsão ganharam espaço por serem mais baratas que os Daguerreótipos assim como possuírem um tempo muito menor de exposição para a gravação da imagem, que agora era de apenas 3 minutos. Também nesta época, buscando a melhora do foco, adicionaram os foles às câmeras foco.

O menor tempo de exposição tornou as placas de emulsão mais adequadas para a produção de retratos, que até então era a fotografia mais realizada na época. Muitas fotos da guerra civil americana foram produzidos com as placas úmidas.

Estas placas úmidas usavam um processo de emulsão chamado de processo de colódio.

Dois tipos comuns de placas de emulsão são o ambrótipo e o tipo estanho. Os ambrótipos usavam uma placa de vidro em vvez da polaca de cobre dos Daguerreótipos. Por outro lado os tipos de lata usavam as placas de estanho.

1860, Sutton Panoramic: foi a primeira câmera a fazer fotos panorâmicas através de uma lente grande angular, preenchida com água.

O salto seco

Na década de 1870 a fotografia deu outro grande salto com Richard Maddox. Ele aprimorou a invenção anterior para fazer gelatinas secas que eram praticamente iguais às placas úmidas em velocidade e qualidade.

As placas secas agora podem ser armazenadas ao invés de serem criadas apenas quando necessárias. Gerando muito mais liberdade aos fotográfos. Este mesmo processo também permitiu a criação de câmeras menores, que podem ser seguradas com as mãos.

Conforme os tempos de exposição diminuiram, a primeira câmera com obturados mecânico foi desenvolvida.

Câmeras fotográficas para todos

Anteriormente a fotografia era apenas para profissionais e os muito ricos, até que George Eastman abriu uma empresa e a batizou de Kodak na década de 1880.

Foi então que Eastman criou um filme em rolo flexível que não exigia mais a troca constante das placas sólidas. Isso permitiu que ele desenvolvesse uma câmera box autônoma que continha 100 exposições de filmes. A câmera tinha uma pequena lente única sem ajuste de foco.

1888, Kodak nº 1: primeira câmera a utilizar filme de rolo, destinada ao fotógrafo amador

O consumidor após tirar as fotos envia a câmera de volta para a fábrica para que o filme seja revelado e as impressões sejam feitas, da mesma forma que as modernas câmeras descartáveis dos anos 1980. Esta foi a primeira câmera barata o suficiente para uma pessoa comum.

O filme ainda era grande em comparação com o filme de 35 mm de hoje. Foi só depois, no final da década de 1940 que o filme de 35 mm se tornou barato o suficiente para ser usado pela maioria dos consumidores.

Retratos da Guerra

Foi por volta de 1930 que Henri-Cartier Bresson e outros fotógrafos usaram câmeras com filmes de 35mm para captar os momentos cotidianos, ao invés dos retratos encenados.

1913, Ur-Leica: primeiro protótipo de câmera 35 milímetros, projetada por Oskar Barnack.

Após o início da primeira Guerra Mundial, muitos fotógrafos então também adotaram este estilo, que foi chamado de fotojornalismo.

Os retratos dos soldados da primeira Guerra Mundial deram lugar às imagens gráficas e realistas da Segunda Guerra e suas consequências. Registratrando os horrores da guerra e ajudando a contar a história com imagens. Além disso moldando a cara da fotografia para sempre.

A mágica dos instantâneos

Ao passo em que as câmeras de filmes 35mm setornaram populares. a Polaroid lançou o modelo 95. Este modelo usava um processo químico secreto para revelar o filme diretamente na câmera. E em menos de um minuto!

1947, Polaroid Model 95: primeira câmera instantânea com filme, da história, projetada por Edwin Land.

O novidade chamou a atenção do público mas, ainda era muito cara para a população em geral. Mas, já em 1960 a Polaroid havia invadido o mercado com diversos modelos e mais acessíveis, se tornando muito popular.

Em 2008, a Polaroid parou de fazer seu famoso filme instantâneo e levou seus segredos com eles. Muitos grupos como The Impossible Project e Lomography tentaram reviver o filme instantâneo com sucesso limitado.

Maior controle de imagem

Ainda na década de 1950, a Asahi (que mais tarde se tornou Pentax) lançou o Asahiflex e a Nikon lançou sua câmera Nikon F. Ambas eram câmeras do tipo SLR e a Nikon F permitia lentes intercambiáveis ​​e outros acessórios.

As câmeras SLR – Single Lens Reflex, dominaram o mercado de câmeras fotográficas durante 30 anos e muitas melhorias foram introduzidas neste tempo.

1976, Pentax K1000: SLR fabricada por mais de 20 anos e muito utilizada por estudantes de fotografia.

As câmeras fotográficas inteligentes

No final dos anos 1970 e 1980 surgiram as câmeras automáticas. Com elas era possível o fotógrafo ter uma imagem perfeita sem precisar regular a exposição, a velocidade ou o foco. A Câmera fazia tudo isso por você.

Era preciso apenas apontar e pronto! Com isso estas câmeras ficaram conhecidas como: Point and Shoot. Em uma tradução livre, apontar e disparar.

As câmeras automáticas se tornaram extremamente populares, até hoje. Mas, sabemos que mesmo com essa “ajuda”, muitos fotógrafos, tanto profissionais como amadores, preferem regular manualmente para manter controle de todos os recursos para gerar a melhor imagem.

1983, Canon T50: a primeira câmera SLR automática.

A era das câmeras digitais

Nas décadas de 1980 e 1990, vários fabricantes trabalharam em câmeras que armazenavam imagens eletronicamente. A primeira delas foram câmeras automáticas que usavam mídia digital ao em vez de filme.

Em 1991, a Kodak havia produzido a primeira câmera digital avançada o suficiente para ser usada com sucesso por profissionais. Outros fabricantes seguiram rapidamente e hoje Canon, Nikon, Pentax e outros fabricantes oferecem câmeras SLR digitais avançadas as chamadas DSLR.

1991, Kodak DCS 100: a primeira câmera SLR digital.

Mesmo a câmera point-and-shoot mais básica agora tira imagens de qualidade superior do que a placa de estanho da Niépce. Já os smartphones, por exemplo, podem facilmente tirar uma fotografia em altíssima qualidade.

E assim a evolução da tecnologia vai influenciado a produção fotográfica. Hoje já estão chegando no mercado as câmeras Mirrorless. Câmeras que não utilizam mais o sistema de espelhos.

Por isso é tão importante nos manter em constante movimento e buscando sempre melhorar nossa técnica fotográfica e se atualizar em nosso conhecimento. Sem jamais esquecer a história que nos permitiu chegar aonde estamos.

Para ver mais câmeras fotográficas e curiosidades acesse o post de onde retiramos estes achados fantásticos!

Gostou do conteúdo? Se inscreva para receber nossa newsletter!

Processando…
Sucesso! Você está na lista.
Categorias
Fotografia

6 BENEFÍCIOS DA FOTOGRAFIA PROFISSIONAL PARA SUA PEQUENA EMPRESA

Os empreendedores são conhecidos por sua mentalidade “faça você mesmo”, mas quando se trata de fotografia promocional, fazer você mesmo pode não ser o melhor. Quer seja para o seu site, outdoors, materiais impressos ou mídia social, a fotografia atraente e profissional fará com que sua empresa pareça mais confiável.

Infelizmente, durante a fase de abertura do negócio, as despesas envolvidas na contratação de um fotógrafo profissional parecem uma das mais dispensáveis ​​da lista. É muito fácil cair na armadilha de usar banco de imagens ou até mesmo tentar realizar a tarefa sozinho. De acordo com a fotógrafa que mora em Vancouver, Lindsey Donovan, a fotografia profissional é fundamental para o crescimento de sua marca desde o início.

“Em última análise, você é a sua marca. Ter imagens profissionais reflete a essência de seus produtos e serviços ”, explicou Lindsey. “É o velho ditado,‘ olhar é atraente para comprar ’e diz aos clientes em potencial que você está operando com um nível de profissionalismo e dedicação à qualidade.”

Siga nossas redes sociais

Precisa de ajuda na produção de fotos da sua empresa?


Aqui estão 6 razões pelas quais você deve investir em fotografia profissional para sua pequena empresa.

Fotografia profissional para pequenas empresas arrasarem no e-commerce
foto RED Produção Audiovisual para Avadore

Fotografia profissional é mais profissional

Logo de cara, a fotografia profissional e personalizada apresenta a você a oportunidade de obter uma vantagem sobre seus concorrentes. Projetos de fotos claros e criativos demonstram a credibilidade de sua empresa e resultarão em clientes que confiam em sua marca como autêntica e que desejam apoiar.

“Como empresário, sua presença na mídia social, site e outros materiais de marketing são a primeira impressão que um cliente potencial tem de você e de sua empresa. Freqüentemente, é a primeira coisa a acontecer ao elaborar um orçamento, mas é a essência de uma empresa ”, disse Lindsey.

Colocando seu melhor pé em frente

As fotos que você usa em seu material de marketing representam sua empresa tanto quanto sua equipe ou os produtos e serviços que você oferece. Fotos amadoras de baixa qualidade refletem mal em uma empresa. Afinal, se você está economizando na fotografia, o que mais você está economizando? Qualquer pessoa com um interesse passageiro em marketing dirá que o conteúdo é rei. Com o surgimento do marketing digital, as linguagens visuais se tornaram o principal meio de comunicação entre empresas e clientes, e sua empresa não é diferente

Fotografia é extremamente compartilhável

Os benefícios de uma comunidade de mídia social engajada que compartilha, gosta e retuíta seu conteúdo são impossíveis de exagerar. Exibir fotos tiradas profissionalmente junto com suas postagens sociais os torna muito mais propensos a se envolverem com o público desejado, aumentando sua marca e alcançando mais clientes em potencial de forma orgânica.

Fotografia profissional para pequenas empresas arrasarem nas redes sociais
Foto RED Produção Audiovisual para Pimpolho

Menos Aborrecimento

Decidir o que você deseja transmitir por meio de sua fotografia e como fazer isso pode parecer uma tarefa difícil. Felizmente, fotógrafos profissionais geralmente ficam mais do que felizes em assumir a logística do processo criativo, pois sabem o que precisam fazer para garantir que seus desejos e necessidades sejam atendidos. Além de ter que assumir as rédeas logísticas, usar um fotógrafo profissional significa que você obtém suas habilidades, bem como iluminação, equipamento, edição e retoque. É uma solução simples que vale o custo inicial. Para garantir que você obtenha os resultados que deseja, Lindsey tem mais uma dica:

“É importante fazer sua pesquisa ao contratar um fotógrafo profissional. Você deve certificar-se de que seu estilo de imagem se alinhe com a sensação de sua empresa e marca. ”

As fotos profissionais são econômicas

Mencionamos anteriormente como pode ser fácil para os proprietários de pequenas empresas dispensar a fotografia profissional por causa dos custos iniciais. Mas, e se disséssemos que isso pode se tornar um dos aspectos mais econômicos do seu negócio? Ter um cache de fotos tiradas profissionalmente pode criar publicidade gratuita para sua empresa e ter o benefício adicional de construir um reconhecimento efetivo da marca.

Contar histórias com imagens

Um dos aspectos mais importantes de estabelecer uma marca atraente é a capacidade de transmitir claramente quem e o que é o seu negócio, enquanto oferece aos seus clientes algo que é imediatamente reconhecível como desejável. A fotografia profissional permite que você conte essa história sem dizer uma palavra.

Compartilhamos estas dicas originais em inglês do site Small Business Britsh Columbia, do Canadá. Mas, as dic as também valem para os pequenos negócios aqui no Brasil.

Quer saber mais como a fotografia profissional pode ajudar no crescimento do seu negócio? Envie uma mensagem pra gente e vamos juntos!

Gostou do conteúdo? Se inscreva para receber nossa newsletter!

Processando…
Sucesso! Você está na lista.
Categorias
Conteúdo

5 razões para usar conteúdo visual nas mídias sociais

As redes sociais já fazem parte do nosso dia a dia e sobretudo estão cada vez mais importantes no dia a dia das empresas. Usá-las de forma estratégica pode ser o diferencial que faltava para um marketing de sucesso. Então, resolvemos compartilhar com vocês 5 razões para usar conteúdo visual nas mídias sociais da sua empresa agora!

Siga nossas redes sociais

Precisa de ajuda na produção de conteúdo para as suas redes sociais?

Fale com a RED!


1) Conteúdo visual atrai seguidores

Você está competindo contra outros por espaço e visibilidade nas plataformas de mídia social. Não notamos postagens visuais ao navegar pelas redes sociais simplesmente porque falta o fator “uau” que separa sua postagem de todas as outras pessoas.

As imagens fazem uma grande diferença em um feed de mídia social superlotado.

Conteúdo com imagens relevantes obtém 94% mais visualizações do que conteúdo sem imagens relevantes.

Fonte: Neil Patel

Incluir recursos visuais em suas postagens de mídia social pode ajudar a atrair novos seguidores, bem como manter a atenção de seus fãs existentes. O conteúdo visual é uma maneira rápida de:

  • expresse sua marca;
  • transmitir uma emoção;
  • destacar dados importantes;
  • diferencie seu negócio;
  • mostre seu produto e ofertas; e,
  • aumente o tráfego para seu site.

Qual dessas duas postagens chamaria sua atenção? Qual você provavelmente lerá?

5 razões para investir em conteúdos visuais nas midias sociais 5 razões para investir em conteúdos visuais nas midias sociais

2) Conteúdo visual envolve seguidores nas mídias sociais

Em síntese conteúdos com imagens tem mais chance de ser lido, curtido, adicionado como favorito, comentado e compartilhado do que conteúdos somente de texto.

Veja estas estatísticas:

Você também pode tirar proveito das imagens para criar um conteúdo mais envolvente, por exemplo. As plataformas de mídia social interpretam o conteúdo com mais envolvimento como mais popular. Assim como cada plataforma de mídia social tem seu próprio algoritmo que determina a frequência e a prioridade do conteúdo. No entanto, é seguro dizer que quanto mais popular o conteúdo, mais provável é que as plataformas o mostrem aos usuários.

3) O conteúdo visual é facilmente compreendido

Quando se trata de compreensão, nossas mentes preferem os recursos visuais porque eles comunicam mais informações, de forma mais eficaz.

Na verdade, 90% das informações enviadas ao cérebro são visuais e as imagens são processadas 600.000 vezes mais rápido do que o texto.

De acordo com a Column Five Media, os humanos são biologicamente programados para processar o mundo visualmente. Os cérebros humanos processam pistas visuais em 1/4 de segundo! Com o seu cérebro pré-programado para interpretar as relações entre os objetos, os recursos visuais permitem uma compreensão quase instantânea com o mínimo de esforço. Além disso, seu cérebro interpreta imagens mais rápido do que pode processar a linguagem.

4) O conteúdo visual é memorável

O conteúdo visual é memorável por razões semelhantes pelas quais é facilmente compreensível. Obrigado, ciência!

Seu cérebro rapidamente faz conexões com informações já armazenadas em suas memórias, o que ajuda na retenção. Se você adicionar apelo emocional e estético ao design, seu cérebro aprofunda ainda mais a codificação e retenção de informações.

Em outras palavras, incluir imagens que sejam agradáveis ​​ou que evoquem emoções tornará suas postagens nas redes sociais mais memoráveis ​​para o seu público. Então, quando chegar a hora de fazer uma compra ou doação, seu público se lembrará de sua empresa.

As pessoas se lembram de 80% do que veem, mas apenas 20% do que lêem e apenas 10% do que ouvem. Portanto, use suas imagens estrategicamente. Você ajudará seu público a se lembrar de você e de sua mensagem quando precisarem de você no futuro.

5) O conteúdo visual é relacionável

Minha parte favorita do conteúdo visual definitivamente é que ele pode tornar suas postagens de mídia social altamente relacionáveis. As pessoas compram daqueles que conhecem, gostam e confiam – que é enfim, onde esse fator “relacionável” realmente faz a diferença.

Ao se relacionar com seu conteúdo em um nível emocional, elas formam um vínculo ou relacionamento com sua marca que é percebido como “simpatia”. Vamos enfrentá-lo, em suma, os seguidores são atraídos por quem eles gostam! Humor, dados, citações e até fotos pessoais em suas postagens podem realmente ajudar as pessoas a conhecê-lo e a construir relacionamentos online.

Não subestime o valor de ser uma empresa ou pessoa com quem os outros podem se relacionar. De acordo com a Psychology Today, a emoção tem um papel influente nas decisões de compra dos consumidores:

A neuroimagem fMRI mostra que os consumidores usam principalmente emoções, em vez de informações, ao avaliar marcas.

A pesquisa revela que a resposta emocional a um anúncio tem uma influência maior na intenção do consumidor de comprar um produto do que o conteúdo do anúncio.

A pesquisa da Advertising Research Foundation concluiu que a emoção de “simpatia” é a medida mais preditiva para saber se um anúncio aumentará as vendas de uma marca.

Estudos mostram que emoções positivas em relação a uma marca têm mais influência na lealdade do consumidor do que a confiança e outros julgamentos que são baseados nos atributos de uma marca, por exemplo.

Post traduzido do original em inglês.

E por que você deve contratar uma produtora para te ajudar a produzir conteúdo visual para suas mídias sociais?

Produzir conteúdo de imagem original de forma profissional e continuada é a melhor forma de trazer resultados expressivos para sua empresa.

Uma produção profissional e organizada, poupa tempo de seus funcionários e dinheiro. Pois é um investimento que gerará um retorno muito mais expressivo que conteúdos produzidos de forma caseira e sem periodicidade adequada.

Além disso, uma produção de conteúdo original com fotos e vídeos profissionais aumentam a percepção de valor da sua marca, impactando direta e positivamente em seu Branding Marketing.

Aqui na RED temos diversas soluções para a produção de conteúdo de iagem orginal para as redes sociais e marketing digital. Entre em contato com a gente e vamos juntos!

Gostou do conteúdo? Se inscreva para receber nossa newsletter!

Processando…
Sucesso! Você está na lista.
Categorias
Fotografia Vídeo

5 Mulheres pioneiras do audiovisual que você precisa conhecer!

Em homenagem ao dia internacional da mulher, 8 de março, resolvemos escrever este post saudando estas 5 mulheres pioneiras do audiovisual que abriram caminhos, romperam barreiras e fizeram história!

1. Alice Guy Blaché

Mulheres pioneiras do audiovisual - Alice Blaché
reprodução internet

Antes que alguém tivesse feito qualquer coisa, a diretora francesa Alice Guy-Blaché já estava fazendo de tudo! Atuou como diretora entre 1894 e 1922. Ela não só é a primeira diretora do cinema francês, bem como provavelmente a primeira mulher a dirigir um filme na história! E também uma das primeiras pessoas a ser reconhecida como diretora no mundo para além do gênero.

Dirigiu nada menos que cerca de 700 filmes em sua carreira, contudo Alice também produzia, escrevia e atuava em seu trabalho. Muitos de seus filmes desapareceram no tempo, mas diversos ainda podem ser vistos. Em 1922 ela se divorciou, seu estúdio foi à falência e nunca mais filmou novamente.

Muitas das técnicas desenvolvidas por ela, no entanto, até hoje são padrões essenciais para se fazer um filme. São elas: narrativa, edição, close-up, som sincronizado, efeitos especiais primitivos e colorização manual.

2. Cléo de Verberana – primeira mulher brasileira a dirigir um filme que se tem notícia

Mulheres pioneiras do audiovisual
jacyrasilveira Instagram posts (photos and videos) - Picuki.com
reprodução internet

Primeiramente, Cléo de Verberana, iniciou sua carreira como atriz, aos 22 anos, em 1931. Em seguida se tornou a primeira mulher brasileira a dirigir um filme que se tem notícia, com O Mistério do Dominó Preto. Para realizá-lo, ela e o marido, que recebera uma herança, venderam jóias bem como propriedades. Importaram equipamentos da França, e enfim montaram a produtora Épica Film. Cléo também produziu e atuou no filme.

Depois da morte de seu marido, em 1934, ela fechou sua produtora e desligou-se do cinema. Cleo de Verberena faleceu em 1972. Mas, sua investida como cineasta em 1930 fez escola, marcando a abertura de um ciclo ininterrupto da efervescente contribuição das mulheres na construção de nossa identidade fílmica brasileira.

3. Tina ModottiFotógrafa e revolucionária

Mulheres pioneiras do audiovisual Tina Modotti
reprodução internet

Nascida em uma família de operários italianos e teve de enfrentar a fome e o trabalho árduo em uma fábrica de tecidos. Depois, migrou para o USA e depois para o México.

Tina participou de algumas apresentações de teatro para a comunidade italiana da cidade e logo depois conseguiu trabalhar em alguns filmes dos primeiros anos de Hollywood.

Em meio aos artistas estadunidenses da época, Tina conheceu Robo, Roubaix de l’Abrie Richey com quem viveu, até que morresse de varíola em uma viagem ao México, em 1922.

Tina acabou chegando ao México em meio a essa tragédia pessoal, mas logo se encantou pelas cores, pelo espírito caloroso do povo mexicano e principalmente pelo engajamento com que viviam os artistas que conheceu. Foi nesse ambiente que começou a fotografar.
Posou como modelo para alguns murais de Diego Rivera. Em um deles, aparece ao lado de Frida Kahlo distribuindo armas ao povo para a luta revolucionária.

Enquanto comandava um estúdio de fotografia na Cidade do México durante a década de 1920, Modotti inspirou um grupo de amigos boêmios, pensadores e artistas revolucionários, incluindo Frida Kahlo, José Clemente Orozco e Diego Rivera.

4. Cindy Sherman – fotógrafa e ativista

Mulheres pioneiras do audiovisual Cindy Sherman
Courtesy of the artist and Metro Pictures, New York

A série inovadora de autorretratos “Untitled Film Stills”  de Cindy Sherman, ” a colocou no papel de uma donzela de Hollywood em um filme noir. A série de 1970 aponta para os estereótipos de gênero que as mulheres eram (são?) obrigadas a ser retratadas no cinema. E até hoje Cindy Sherman produz em seu trabalho críticas socio culturais de forma artística e provocativa.

Sherman aponta para os estereótipos que muitas vezes retratam as mulheres no cinema assim como oferece uma crítica sobre a saturação de imagens na mídia. Hoje, Sherman é conhecida como uma das artistas mais prolíficas de sua geração e continua a produzir trabalhos com foco na crítica cultural.

5. Adélia Sampaio – primeira mulher negra brasileira a dirigir um filme

reprodução internet – jornal Tribuna de Minas

 Filha de empregada doméstica e de origem pobre, Adélia Sampaio tornou-se, em 1984, a primeira mulher negra a dirigir um longa-metragem no país, com o filme Amor Maldito, sobre um caso real de um embate de uma lésbica com a justiça. Que Adélia também produziu e escreveu.

O filme estreou pouco tempo depois em algumas salas de cinema de São Paulo, com alerta de censura para menores de 18 anos. Apesar de não ter tido divulgação, o longa foi um sucesso.

Em 2018 Amor Maldito foi exibido no FIM CINE o Festival internacional de Mulheres no Cinema e na Mostra Diretoras Negras no Cinema Brasileiro.

O filme inaugurou a temática lésbica no cinema brasileiro. Conta a história real de amor entre duas mulheres que pela falta de aceitação, resulta no suicídio de uma delas enquanto a outra é acusada de sua morte.

Apesar de baseado em um fato verídico, como a maioria de seus filmes, Adélia conta que na época a Embrafilme recusou seu filme dizendo que “Jamais financiaria tal aberração”.

 No auge do movimento Pornochanchada, ela enfrentou o preconceito da indústria e teve que lançar seu longa travestido pelo gênero. Devido a essa falta de apoio estatal, a produção do filme se deu através de parcerias, o que o tornou o primeiro longa metragem em estado cooperativo da época. Assim, atores e técnicos recebiam uma ajuda de custo e uma porcentagem do filme.

Um Viva a todas as mulheres do audiovisual! Que possamos ter um audiovisual mais diverso e com salários e oportunidades iguais para homens e mulheres!

Gostou do conteúdo? Se inscreva para receber nossa newsletter!

Processando…
Sucesso! Você está na lista.
Categorias
Fotografia

Flat Lay- o estilo de fotografia

Você pode não ter ouvido falar de Flat Lay, mas com certeza já viu muitas fotos dessas por ai! O estilo de fotos e design, não surgiu nas redes sociais, mas com cada vez mais mais redes sociais de imagens por ai ele logo se tornou o queridinho, principalmente no Pinterest e instagram.  

Siga nossas redes sociais

Precisa de ajuda na produção de conteúdo para as suas redes sociais?

Fale com a RED!


Flat lay de leite demaquilante Higiporo no centro com pincéis de maquiagem em volta em fundo branco
Flat Lay por RED produção para Davene

Mas como afinal surgiram os Flat lays? 

De acordo com o portal de tendências Creative Review, o termo surgiu em 1987 quando Andrew Kromelow , faxineiro do estúdio de design de Frank Gehry, organizava diariamente as ferramentas e peças que encontrava jogadas ao redor do galpão em uma mesa com fundo neutro em ângulos de 90 graus.

Certo dia, Tom Sachs, artista e escultor que também trabalhava no estúdio de Frank, observou o trabalho de Andrew e perguntou se o seu método de organização tinha um nome. E Andrew respondeu que não. Mas, como o estúdio estava trabalhando naquele momento para a criação de cadeiras para a famosa marca de móveis de Florence Knoll, Andrews disse ter se inspirado no desiogn destas cadeiras para criar seu método de organização. Foi então que Sachs e Andrew decidiram batizare o método de Knolling.

Desde então Tom Sachs passou a particar o Knolling. Porém, o método só ficou conhecido em 2010, quando Tom Sachs lançou seu 10 Bullets for the working code, onde o ítem de número 8 é: “Always be Knoling!” Que ele adotou como mantra em seu estúdio.

Flat lay de tela de pintura com livro de desenho e pinceeis em fundo branco
Flat Lay por RED Produção Audiovisual para Valisere

Quais os tipos de Flat Lays?

Os Flat Lays podem ser utilizados em diversos seguimentos como na gastronomia, moda, decoração, cosméticos, eletrônicos e o que mais sua imaginação mandar.  

Além das fotos, também podem ser produzidos vídeos, com esta mesma estética. Até no cinema esse recurso já foi empregado por diversos diretores, mas principalmente por Wes Anderson, para dar uma perspectiva mais pessoal a cena, praticamente inserindo o telespectador na obra. 

frame do filme The Tenembaums Wes Anderson

Flat Lay: O estilo que invadiu as redes sociais e veio pra ficar! 

Mas, por que essa estética faz tanto sucesso?! Freud explica! As pessoas adoram organização. E objetos arrumados vistos de cima, expressam bem essa sensação de ordem e arrumação, o que nos gera uma sensação agradável. A vista de 90º também nos é muito familiar em nosso dia a dia. Como quando estamos olhando as coisas dispostas em nossa mesa de trabalho ou preparando uma receita na bancada da cozinha, por exemplo.  

Flat Lay de fotografia de gastronomia por RED Produção Audiovisual

Dicas finais

Mas, como aproveitar melhor essa tendência para a produção de conteúdo original? 

  • Crie mini cenários para as suas fotos. 
  • Tenha sempre fundos diversos e neutros. 
  • Arrume a cena com a visão da câmera. 
  • Planeje suas fotos e vídeos antes de executar! 

Se inspirou?! A RED produção é pioneira na produção deste tipo de conteúdo e possui toda a logística bem como equipamentos necessários para produzir flatlays originais e incríveis para sua empresa! Envie uma mensagem pra gente que retornaremos com as melhores soluções para a produção de conteúdo de imagem original para internet! #vemcomaRED

Quer saber mais sobre Flat Lays? Aperta o play!👆

Gostou do conteúdo? Se inscreva para receber nossa newsletter!

Processando…
Sucesso! Você está na lista.